O sentido espiritual dos números da Bíblia

Os números da Bíblia possuem um sentido espiritual que pode ser apresentando da seguinte maneira:

UM. Fala de unidade e começo. As primeiras ocorrências de palavras ou expressões mostram sua essência espiritual quando interpretados. Palavras que ocorrem apenas uma vez nos originais são enfáticas e importantes. Primeiro dia: luz. As primeiras ocorrências de todas as palavras importantes podem ser vistas nas margens dos originais.

DOIS. Fala de diferença. Quando duas pessoas totalmente diferentes concordam e testificam sobre algo é decisivo numa decisão. Do contrário, dois implica em oposição, inimizade e divisão, como aconteceu com a obra da criação no segundo dia. Compare com o uso das palavras “dobro”, aplicadas ao “coração”, “língua”, “mente”, etc.

TRÊS. Fala de completude, como três linhas que se completam e formam uma figura geométrica. Assim, três fala da importância da perfeição e completudes divina. O terceiro dia da criação completa a obra fundamental da criação. O quarto, quinto e sextos dias são a contrapartida e repetição do primeiro, segundo e terceiros dias e se completam entre si. Veja a estrutura do livro de Gênesis no começo da Bíblia.

QUATRO. Denota criatividade (3+1) e sempre é uma referência à criação, coisas pertencentes à terra, e coisas “debaixo do sol”, e outros temas terreais.

QUINTO. Fala da graça divina. É 4+1. Deus acrescentando seus dons e bênçãos às obras de suas mãos. A palavra hebraica ha`aretz (a terra) através da “gematria” (isto é, adição aos valores numéricos das letras do hebraico) é um múltiplo de quatro, enquanto hashamayin (os céus) é um múltiplo de cinco. A gematria de “charis” no grego, palavra que quer dizer graça é também múltipla de cinco. É fator importante nas medidas do tabernáculo.

SEIS. É o número do homem. O homem foi criado no sexto dia; e a primeira ocorrência do número faz dele e de seus múltiplos o ponto alto de tudo o que diz respeito ao homem. O homem trabalha seis dias. As horas de seu dia formam um múltiplo de seis. Nomes de grandes homens que se levantaram contra o povo de Israel (Golias, Nabucodonosor e o anticristo), têm a somatória de seis em seus nomes.

SETE. Fala de perfeição espiritual. É a marca registrada da obra do Espírito Santo. Ele é o autor da Palavra de Deus, e o número sete é a marca registrada dele como a “marca-dágua” de uma nota de dinheiro ou um documento oficial. Ele é o Autor e Doador da vida. E sete é o número que rege cada período da incubação e gestação nos insetos, pássaros, animais e no homem.

OITO. Fala de ressurreição e de regeneração, de um novo começo. O número oito é o novo primeiro. Da mesma forma que a oitava nota repete a primeira na música, cores, dias da semana, etc. É o número que tem a ver com o Senhor, que ressuscitou no oitavo, ou no novo “primeiro dia”. É portanto o número dominical. Na gematria a soma do nome Jesus é 888. O oito ou seus múltiplos é marca de tudo que diz respeito aos nomes do Senhor, nomes do povo de Deus e das obras de Deus.

NOVE. Fala do objetivo ou finalidade dos julgamentos. É a multiplicação de 3×3, a soma ou resultado da completude divina. O nove com seus fatores e múltiplos é visto nos casos em que estão em pauta os juízos.

DEZ. Fala de perfeição ordinal, quando um novo “primeiro” aparece depois do número nove, indicando uma nova numeração.

ONZE. Fala de desordem ou desorganização, por ser um número a menos do que o doze que veremos a seguir.

DOZE. O doze fala de perfeição governamental. É número ou fator ligado a governo, seja pelas doze tribos, pelos doze apóstolos, ou na medida de tempo, e coisas que têm a ver com o governo dos céus ou da terra.

TREZE. Fala de rebelião, apostasia, defecção, desintegração e de revolução. A primeira ocorrência está em Gênesis 14.4 e a segunda confirma-o (Gn 17.25). O treze e seus múltiplos podem ser vistos em todos os números e na gematria pode ser visto em todas as passagens ligadas a rebeliões.

DEZESSETE. É uma combinação de espírito e ordem (10+7). É o sétimo número primo (como o treze é o sexto número primo).

Os demais números seguem as leis que governam os números menores, como seus fatores, somas, resultados de somatórias ou de múltiplos. Ex. 24 é 12×2, uma forma superior de doze.

25=5 ao quadrado. Graça intensificada.

27= 3 ao cubo. Divindade intensificada.

28= 7×4 Perfeição espiritual em relação a terra.

30=3×10. Perfeição divina aplicada à ordem.

40=10×4. Ordem divina aplicada a coisas terreais, daí ser o número da provação.

Os quatro números perfeitos, 3,7,10 e 12 têm como resultado a maravilhosa soma de 2.520. É o mínimo múltiplo comum de dez dígitos governando todos os números, e pode, assim, ser dividido por cada um dos nove dígitos, sem que sobre fração. É o número da perfeição cronológica (7×360).

Nota do tradutor: 2.520 anos é a soma dos anos bíblicos do dia em que Israel foi levado cativo para a Babilônia até a fundação do estado de Israel em 14 de maio de 1948, cumprindo-se assim as profecias bíblicas dos anos que Israel ficaria sem pátria.

2 Responses to O sentido espiritual dos números da Bíblia

  1. Santo Walter Scaramella - 68 anos disse:

    Saudações Bíblicas. Preciso saber se há a obra The Companion Bible, traduzida para o português daqui ou de Portugal ou… Ficaria igualmente satisfeito se fosse indicado os vários resumos e ou … traduzidos da obra de E.W. Bullinger. A paz e a graça do Senhor. Atenciosamente grato,…

    • Bem, Walter, a Companion Bible só existe em inglês e foi editada pela editora Bagster de Londres. Ainda existem cópias disponíveis. Quanto a obra de E.W. Bullinger desconheço alguma tradução para o português. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*