O Poder Latente da Alma de Watchman Nee

Sinopse:

Nesta obra o autor chama a atenção para uma pequena frase que se encontra no Livro de Apocalipse 18,:1-13 onde se diz que a Babilônia comercializa com escravos e até almas de homens.

Após  ser  criado  por  Deus,  Adão  foi  dotado  com  grandes  poderes  em  sua  alma, porem  ao  cair  em  desobediência,  seus  poderes  não  foram  perdidos;  eles  apenas passaram  a  um  estado  de  “sono”  ou  “latente”  dentro  do  homem.  Desde  então, Deus tem rejeitado usar tais habilidades da alma em sua obra. Satanás ao contrario tem  procurado  despertar  estes  poderes  adormecidos  no  homem.  Seu  alvo  é falsificar as operações do Espírito Santo, levando o homem a crer que tudo provém da  alma  humana.  Nisso  temos  também  a  explicação  para  os  fenômenos  da parapsicologia.  O  autor  adverte  seriamente  os  filhos  de  Deus  com  respeito  ao perigo do uso dos poderes da alma na obra de Deus. O contato com o inimigo, será inevitável. Exemplos são dados com vistas à identificação das obras que procedem do poder latente da alma e das que são realizadas pelo poder do Espiríto Santo:

Sem duvida, esta é uma mensagem atual para a igreja de Jesus Cristo.

———————————————-

Opinião do Pastor João de Souza

Em 1973 deparei-me com os primeiros livros de Watchman Nee, o obreiro chinês que ficou preso por mais de vinte anos pelos comunistas, enquanto seus colegas pastores fugiam para o Ocidente. A princípio lia-os todos em edições publicadas em inglês. Fui um estudioso leitor e entusiasta de seus livros, especialmente, O Homem Espiritual e Autoridade Espiritual. Foi por essa época mais ou menos que li O Poder Latente da Alma, um livro que me deixou seriamente preocupado com tudo o que o autor apresenta no texto.

Tornei-me um maníaco por tudo que era publicado de Watchman Nee, e em minhas viagens buscava encontrar seus livros em espanhol ou em inglês. No decorrer dos anos a fase watchmaníaca passou, e comecei a questionar, anos depois, alguns de seus livros que levam seu nome, já que ele afirma que as únicas obras que escreveu foram O Homem Espiritual e o Poder Latente da Alma; as demais obras são compilações de seus ensinamentos feitas a partir de anotações por pessoas que eram seus discípulos ou que ouviram suas mensagens. E fico imaginando alguém editando um livro em que apareço como autor a partir de anotações feitas dos sermões que prego, sem nunca passar pelo crivo do escritor.

As inquietações começaram quando percebi que Nee enfaticamente questiona o trabalho das mulheres na igreja, um paradoxo do autor, pois ele mesmo afirma haver sido influenciado pela vida de algumas mulheres, como Jessé Penn Lewis cujos livros ele cita freqüentemente, uma tal de Miss Barber que o ajudou muitíssimo na vida cristã e Madame Guyon a mística católica francesa. Este paradoxo é a primeira grande e contundente prova de que muito do que se publica como sendo de sua autoria deve ser questionado.

Trinta e três anos depois voltei a ler, O Poder Latente da Alma edição com um português sofrível editado em 1988 em Belo Horizonte. O livro estava ali havia anos na prateleira da estante, e nesta última leitura comecei a fazer para mim mesmo algumas perguntas a respeito do que ele escreve. Antes, porém, deixa-me resumir o conteúdo do livro àqueles que nunca o leram. O autor argumenta com muita propriedade que na Criação o homem foi dotado de muito conhecimento e força física, pois podia lavrar a terra sem esforço e conseguia dar nome a todos os animais e plantas, além de possuir a capacidade de chamá-los, pelo poder da mente, de onde quer que estivessem. “Todos os seus poderes estavam inerentes em sua alma vivente” (aqui um dos erros, pois inerente já significa “estar”). “… concluímos que antes da queda Adão tinha nele o poder de tornar-se como Deus” (pp 10-12).

A tese básica do autor é de que o pecado “trancou” este poder divino na alma humana, isto é, deixou este poder latente na alma, e que o homem consegue liberá-lo realizando milagres, lendo pensamentos e conhecendo o futuro. Afirma o autor que muitas orações respondidas, não são respostas de Deus, mas “forças” mentais enviadas a um amigo ou pessoa que traz cura ou libertação por quem se orava. “É simplesmente uma resposta a uma oração que você dirigiu a seu amigo”, pois “seu desejo os envia a seu amigo como uma força… Na aparência você está orando, mas na realidade você está oprimindo a pessoa com seu poder psíquico” (pp 28-29). Confessa que muitas vezes conseguia “ler” o que as pessoas pensavam, mas não atribuía tal fato a uma ação divina, mas ao poder de sua alma.

O autor argumenta que o serviço, a paz e a alegria, o batismo no Espírito, os cânticos que muitas vezes sentimos num culto da igreja são, na realidade, a manifestação das “forças psíquicas”, ou a liberação do “poder da alma” e não devem ser confundidas como manifestações do Espírito Santo. Para ele, as reuniões de avivamento, os cânticos, a exposição bíblica, a alegria, visões e sonhos são, na maioria das vezes, manifestações da alma.

Em parte, concordamos com o autor, pois a alma tem o poder de copiar e imitar as manifestações do Espírito, mas ensinar que quando oramos, cantamos ou temos uma palavra de conhecimento podem ser coisas da alma é atribuir à mente o que pode ser atividade legal do Espírito Santo.

Existem algumas questões que precisam ser respondidas e que o autor deixou obscuras em seu livro:

1. Se o poder da alma ficou trancado ou é uma força latente no ser humano devido ao pecado, por que na salvação esse poder não é liberado já que a salvação implica em perdão do pecado? Quando o pecado que trancafiava o poder da alma é perdoado, deveria “liberar” este poder. Também, se existe um poder latente na alma aprisionado pelo pecado, liberar esse poder é vencer o pecado. Por que então é “pecado” liberar o poder latente da alma se é o “pecado” que o trancou? Agora, livre do pecado, essas manifestações deveriam ser “normais”.

2. Se o homem no Éden era a semelhança de Deus e tinha tanto poder, e este, devido ao pecado ficou “latente” ou “trancado”, então, hoje, ao liberar este poder pela mente, o autor pressupõe que o poder da mente tem a capacidade de eliminar o pecado, já que rompe com a barreira e se manifesta livremente.

3. Se temos em nós o poder latente de ler pensamentos e de realizar milagres, que as pessoas liberam por meio do controle do corpo e da mente, por que Jesus nos daria poder de realizar essas coisas em seu Nome? Não poderia Jesus ensinar que, tendo os pecados perdoados, estas qualidades se manifestariam em nós? Isto partindo da tese de Nee de que o poder continua latente no homem. Veja bem, não discordamos desta linha mestra, mas do fato do autor analisar a vida cristã como obedecendo a uma “liberação” da alma. No entanto, as manifestações espirituais são dadas pelo Espírito Santo.

4. Por que no ensinamento do Novo Testamento os apóstolos nunca abordaram estas questões, já que viviam num contexto social e espiritual em que havia milagres e curas pelos místicos da época? No tempo dos apóstolos eram conhecidos os poderes dos oráculos de Sibila, em Roma e os de Delfos no templo de Apolo, lugares para onde afluíam reis e imperadores à busca de conhecimento. Esses dois oráculos eram famosos naquele tempo.

5. Nee ensina que a maioria das manifestações espirituais na vida do crente pode ser da alma, mas não ensina como podemos identificar as que são do Espírito. Isto porque sua única fonte bibliográfica era uma obra de Jessie Peen Lewis, A Alma e o Espírito, e nunca teve acesso a obras como La Evolución Mística do padre Arintero, um tratado da mística através da história e da atuação do Espírito Santo na vida de alguns de seus santos. É neste livro que os místicos nos ensinam a descobrir e identificar quando uma obra, visão ou sonho é de Deus ou de Satanás. Em O Poder Latente da Alma Watchman Nee apresenta o problema, mas não fornece a base bíblica, histórica ou experimental que nos ensine como evitar o falso do verdadeiro. Nee, ao que parece, se deixou influenciar fortemente por Jessie Penn Lewis a escritora que, em certo sentido, ajudou a abafar o avivamento do país de Gales. Ele a cita com freqüência em seu livro.

6. Nee coloca que muitas vezes quando oramos por uma pessoa, na realidade ela é curada porque enviamos, pela oração, emanações da alma. – Sendo assim, quanta gente poderia ser curada hoje sem a necessidade de jejuns e de busca de poder de Deus? Mas não explica como isso ocorre pela oração eficaz. Nee não estaria confundido os poderes psíquicos das religiões orientais e sua manifestação através de espíritos demoníacos com o poder “latente” da alma? Que existe uma interação entre espíritos malignos e liberação de energia mental, todos sabemos. Aliás, é comum notarmos este tipo de falta de entendimento em alguns irmãos orientais, como em David Cho na Quarta Dimensão, este sim, misturando coisas da alma e da psique com o que é de Deus.

7. Nee não entendeu que as manifestações no campo espiritual são semelhantes e que precisamos ter parâmetros para entender se são ou não da alma e de Deus? Mas onde estão estes parâmetros de identificação? Por que ele não nos fornece em seu livro? Seria porque estava exposto à influência oriental com seu shamantismo, budismo e confucionismo? E não sabia separá-los do poder manifesto de Deus?

Pelo menos o Padre Juan G. Arintero, em seu livro La Evolución Mística – em el desenvolvimento y vitalidad de la iglesia 1- não dogmatiza o tema, e sim apresenta algumas descobertas dos místicos quanto ao mundo espiritual. Por exemplo. Os místicos da igreja descobriram que todas as manifestações espirituais quer divinas ou satânicas são semelhantes em sua visualização ou aparência. Assim, Deus se manifesta em meio a trevas, Satanás também. Deus se apresenta no meio de radiante luz, Satanás idem. Deus se apresenta como luz, Satanás também. Então, como saber que uma experiência é divina, isto é, que procede de Deus?

Esses homens e mulheres que gastavam dias e anos em oração, meditação e leitura em monastérios descobriram que uma experiência espiritual só pode ser avaliada pelos resultados que deixa na pessoa. Toda experiência espiritual, a princípio, se reveste de tremor e temor; de medo e apreensão. Mas ela é divina quando nos deixa calados, isto é, quando hesitamos em compartilhá-la com outros, quando nos deixa mais humildes, serviçais e obedientes. Ela não é de Deus quando nos deixa espiritualmente soberbos, isto é, com a sensação de que somos mais espirituais que os demais, nervosos, irritados e rebeldes. Daí a conclusão de que, geralmente, os mais espirituais são sempre os mais rebeldes.

O livro O Poder Latente da Alma em vez de ser um subsídio importante para o conhecimento espiritual e a prática dos dons é um muro que impede os que querem mais de Deus de prosseguir avante em sua busca de maior espiritualidade, pois, como saber se não estou ingressando apenas no campo da mente nas experiências com o Senhor? Serve de bloqueio aos que, com sinceridade e dedicação oram e jejuam buscando receber o poder de Deus, pois, como saberão se, nesta busca, não estão liberando o poder latente da alma em vez do poder de Deus?

O livro é incompleto, porque não apresenta uma conclusão lógica, e teologicamente fraco.

About Pr. João de Souza

Pastor, escritor, historiador e pesquisador bíblico

View all posts by Pr. João de Souza →

35 Comments on “O Poder Latente da Alma de Watchman Nee”

  1. a paz de cristo pastor joão souza!!!é um prazer falar com o senhor,eu sou morador de canoas aqui no RS,bom eu estava procurando o livro o PODER LATENTE DA ALMA DE WATCHAMAN NEE e por acaso encontrei um comentario muito interessante e esclarecedor em seu site sobre o esse livro,e vi tambem nesse mesmo comentario que o senhor fala a respeito do padre juan arintero e seu livro la evolucion mistica e fiquei interessado sobre esse livro ou estudo do padre arintero,e gostaria de saber mais a respeito desse estudo,ou se o senhor pastor em algum de seus livros trata do mesmo assunto que esta em la revolucion mistica do padre arintero,pois se o senhor tiver em seus livros esse assunto quero logo adquirir seus livros e se possivel os indicados pelo senhor pastor joão de souza.desde ja agradeço.Que Deus continue a abençoa-lo! fabio.

    1. Fábio. Então estamos próximos. Sobre o livro La Evolución Mistica é uma obra esgotada editada faz mais de 60 anos pela BAC (Biblioteca de Autores Cristianos) na Espanha. A cópia que tenho é de 1954. É possível encontrar em sebos ou pesquisar na http://www.estantevirtual.com.br Vale a pena ler a obra, mas, pode-se encontrar obras semelhantes editados pelas Paulinas e pela Paullus.

  2. Bom dia< Pr

    Acabei de ler o livro poder latente da alma, realmente agumas coias ficaram fagas poremm concordo muito com o pensamnto de Nee, pois hoje na igreja Alguns pastores consegue realizar um tiatro e com o poder da oratoória consegue emocionar o o povo. Eu aceitei a Jesus faz 16 anos mais confeso que não me sinto bem na igreja pois vejo o Ego falando mais alto, com pastores Pop star. Bom se vocÊ quiser trocar algumas ideias comigo estarei a disposição.

    1. Não tenho dúvidas de que o dízimo é bíblico. Aliás, é o mínimo necessário. Geralmnete os que são contra o dízimo nem ofertas dão ao Senhor. Pelo menos os crentes que dão dez por cento contribuem, seja porque alguns o pregam como lei, ou porque alguns o dão como expressão da graça de Deus!

  3. Boa noite Pastor, na minha vida cristã, sempre tive como leitura os livros de Watchman Nee, comprava todos, e realmente O Poder Latente da Alma, tem muita profundidade,não havia olhado por este ponto de vista. mas realmente os outros livros,assim ditos pelo mesmo autor.parece que falta a impressão digital do autor, hoje li o livro Amai-vos uns aos outros de W.Nee, onde ele trata de alguns assuntos da vida cristã na igreja, e fiquei um pouco decepcionada com o tópico : o uso do véu, onde ele afirma que a mulher tem que usar, o Pastar já leu esse livro, concorda com ele?

    1. o uso do véu apesar de não ser obrigado é bíblico. Paulo fala em 1Co 11:10 o apóstolo diz que “A mulher DEVE trazer véu sobre a cabeça por CAUSA DOS ANJOS“.

  4. Paz do Senhor Pastor, Como vai? Tive a oportunidade de ler o livro “O poder latente da alma”, e foi engraçado, pois, sempre fui um entusiasta leitor de Watchman nee. Quando lí o livro em questão, disse ao meu pastor que havia lido um livro maravilhoso, que me iluminara muito. Percebi que o meu pastor ficou muito curioso com o livro, e logo o emprestei. Eu tinha alguns meses de convertido e não conhecia muito a palavra, e quando meu pastor veio me devolver o livro, logo eu perguntei: E aí pastor, gostou do livro? A resposta foi um banho de água fria, mas, mais tarde eu compreendi. Creio que deva ter havido algum engano grotesco na publicação deste livro, ele não devia estar rotulado como literatura cristã. Quero acrescentar que os comentários que o sr. fez sobre o livro são de precisão cirúrgica. muito obrigado fique na paz. Wendel Cunha

    1. Pelo seu comentário, você realmente leu o livro inteiro. Depois que li o livro, decidi escrever meu livro sobre os dons do Espírito Santo o que vai de encontro a tudo o que as igrejas locais ligadas a Witness Lee ensinam. Eles afirmam que não mais precisavam dos dons porque chegaram à maturidade. De tão maduro que ficaram que caíram de podre. Aqui em Porto Alegre a igreja deles fechou e não deixou resquícios. Agora têm cafés-livrarias em que as pessoas leem livros e decidem sobre sua fé. Ainda não visitei nenhuma delas.

      1. Os bookcafes não são do ministerio de witness lee e watchman nee. Um dos cooperadores, conhecido como “Dong” a alguns anos começou a dar ensinamentos estranhos em nome deles, e o mover no Brasil tomou rumos diferentes. Há alguns anos, os irmaos estão sendo restaurados dos ensinamentos estranhos de Dong. Me reuno com os irmaos das igrejas locais, que nao são o mesmo do grupo que tem os BOOKCAFE’S.

      2. As vezes fico preocupado com alguns que lêem os livros de nee e ler , e até usam pregações idênticas como a duvida que joao batista teve a respeito de jesus, e ainda assim acabam criticando.

  5. Com todo o respeito, pastor, não sei como está a igreja em Porto Alegre, porém eu frequento as “igrejas locais de Witness Lee” desde que nasci, e nunca em minha vida ouvi alguém dizer que não precisamos de dons por sermos maduros! Muito pelo contrário! O que mais pregamos em nossas reuniões é que ainda somos muito imaturos e precisamos do crescimento que vem do Senhor! Acredito que a postura fechada que muitos irmãos tiveram por muito tempo talvez tenha cooperado para a visão que o senhor tem de nós, mas, por favor, não generalize. Que o Senhor seja contigo, meu irmão. Um abraço. (:

    1. Vivian: A “igreja em Porto Alegre”, ligada ao ministério de Witness Lee começou em Porto Alegre lá pelo ano 1980, uns três anos depois que comecei uma igreja local chamada de Comunidade do Passo da Mangueira. O primeiro líder de lá foi o Esdras, com o qual mantive bom relacionamento, pois na época ele estudava na Universidade Federal – ele não é daqui – e conversávamos muito sobre os livros de Watchman Nee, autor que sempre prezei e li, praticamente, todos os livros dele. Depois, um novo líder surgiu que foi o Paulo, e, foi ele que fez uma aproximação entre o apóstolo Dong Liu (acho que o nome é este) e eu. Dong esteve por mais de quatro horas em minha casa conversando sobre a igreja e foi dos lábios dele que ouvi a expressão que a igreja, madura, não precisa mais dos dons, especialmente porque naquela época praticávamos fervorosamente os dons espirituais. Conversamos amigavelmente sobre os costumes chineses, gestos, letras de cânticos, pregações que era introduzidos na igreja local, numa outra cultura que não a chinesa e ele me ouviu atentamente. Na ocasião, por pouco, ele não me convenceu de me unir a seu grupo.
      Mas, um deslize dele me levou a tomar uma decisão rápida de que eu estava no caminho certo e não ele. Hoje, a “igreja de Porto Alegre” ligada a LEE se resume a uma livraria-café que o Paulo dirige e que quero muito visitar para revê-lo! Isso é tudo o que sei!
      Um grande abraço!

      1. Aqui estao algumas heresias de Dong, que criou uma divisão há alguns anos atras. No Brasil ele era o enviado pelos irmaos de fora para apascentar, mas começou a ensinar coisas estranhas e o caminho no Brasil tomou rumos estranhos. Hoje em muitas cidades do Brasil o “original” tem sido restaurado e nao tem mais seguido esses ensinamentos estranhos. Aqui estão alguns deles: http://www.gracaepaz.net/sitegracaepaz/index.php/88-doutrinas-estranhas-da-igreja-local-de-dong-yu-lan-bookafe

        Aqui está uma série de videos esclarecendo todas as coisas, no entando os videos são longos:

        https://www.youtube.com/watch?v=zQp92SrDwKE&list=PLFYIbKuuwlRCaZ1-KtxrT3jSBhq1lEjr2

      2. Irmão IVANILDO:nós da igreja local nunca desprezamos acredito que todos estão equivocados com os escritos de Nee e ler.

        1. Nós da igreja local, não pertencemos ao grupo de Dong tu lan, e também nunca desprezamos os dons do Espirito santo, acreditamos que ha um equívoco de alguns a nosso respeito, a uma necessidade grande de lerem os livro com muita atenção par que não se percam

    2. Uma coisa digo, estou a muitos anos na vida da igreja aqui em são Mateus espirito santo, eu nunca ouvi missionar que não precisamos dos dons espirituais, muito pelo contrario devemos buscar todos os dons com muito amor e carinho principalmente o de profetizar. Nós na verdade precisamos diligentemente estar cheios da vida de Deus, possamos no dia da vinda de Deus estarmos cheio dos dons e Ele o nosso Deus nos dizer a seguinte frase eu não vos conheço apartai de mim para o fogo eterno que está preparado para o diabo e seus anjos.

  6. Olá irmão João.
    Eu li o livro “O poder lantente da alma” e que tem vários pontos vagos, isso é inegável. Porem devemos vigiar para não nos tornarmos como a igreja Laodicéia (Ap 3.17). O Senhor Jesus nos alertou sobre o cuidado de não nos colocarmos em posição maior que outro irmão, mesmo que esteja com conhecimento diferente acerca da palavra de Deus. Isso é amor fraternal. Recado claro, deixado por nosso Salvador Jesus Cristo. Que a luz da palavra de Deus nos faça ver que temos que amar uns aos outros sem distinção ou posição diante de Cristo.
    Graça e Paz.

  7. Paz pastor,sou de Cachoeira do sul,meu e-mail é maanaim_j@hotmail.com,preciso falar com o senhor.
    Meu pastor em 2001 absorveu os ensinamentos da “Igreja” de Dong,nossa igreja era avivada,cheia do Espírito Santo e este ensino sobre O Poder Latente da Alma matou espiritualmente nossa igreja.Gostaria de lhe contar com detalhes nossa triste história.Seu comentário foi a única coisa que encontrei que desmascara o ensino do PLA,pois nós sabemos na pele o dano que os ensinos de Nee,Lee e Dong nos causaram,em meio a muita coisa boa tem heresias mortais.

  8. Essa seita é morte no fundo da panela,meu pastor aderiu aos ensinos de dong,este esteve em nossa cidade Cachoeira do Sul no ano 2000,minha igreja era viva,cheia do Espírito Santo e os ensinos deles mataram nossa igreja,hoje a igreja está dividida em duas igrejas religiosas e que apagaram o Espírito Santo.Eu li tudo deles,o livro economia de Deus deixa bem claro a sutileza com que Witnnes fala dos dons.Seita,seita,seita dos infernos!!!!!!!!!!!!!!Eu não tenho só palavras tenho cicatrizes dessa amizade mortal,meu pastor se perdeu,são a cópia da “local” ele é a “ungido” mundial.Se ouvir falar dessa gente fujam,corram,pois tem muita coisa boa e no meio o veneno!!!!!Fujammmmmmmmmmm!!!!!!!!!!!!

    1. Janaina! Que desgraça esse grupo chamado de igreja local fez na igreja de Cristo. Concordo com você! Especialmente você que com eles conviveu. Eu mesmo estive com Dong, em minha casa anos atrás e o confrontei. O Esdras era intérprete dele, mas, a igreja local e sua sede em Sumaré passou de pai pra filho e a coisa degringolou de vez!

  9. Ao falarmos de outros irmãos devemos ter o cuidado de não nos colocarmos como em melhor posição do que os tais.
    Uma revista famosa cristã (Christian Research Institute) evangélica dos EUA classificou as igrejas locais como seita em meados da década de 60, quando W. Lee recém chegara aos EUA. Mas, depois de 50 anos, essa revista emitiu uma longa publicação com o seguinte título: “Nós estávamos errados” acerca da classificação antiga de “seita” para as “igrejas locais”.
    Irmãos, me reúno na igreja em Cuiabá-MT e afirmo: nós erramos muito com vocês, nós os discriminamos muito no passado. Mas hoje nos arrependemos, pedimos perdão e queremos reaproximar-nos outra vez com um único propósito: o Reino de nosso Senhor Jesus.
    Se após 50 anos os irmãos do CRI foram capazes de nos perdoar, por que os demais não o podem?
    Outra vez digo: nós erramos, falhamos com os irmãos à nossa volta. Hoje percebemos isso e, humildemente, almejamos o vosso perdão.
    Em Cristo,
    Daniel

    1. Meu querido Daniel. Em momento algum falei mal dos irmãos, fiz, isto sim, uma crítica ao livro de W. Nee. Aliás, muitos dos livros de Nee me foram de grande ajuda ministerial. Eu os leio desde 1971 e os tenho quase todos em inglês. Mas, este livro a que me refiro não poderia ter saído da pena de W. Nee. Fiz críticas ao livro, não aos irmãos. Aqui em Porto Alegre quando existia a Igreja Local, como conhecíamos, eu mantinha amizade com seus líderes. O primeiro deles que conheci e tive longa comunhão desde 1974 foi o Esdras. Este trouxe até a minha casa o Dom Yong – nem sei se esse é o nome agora do apóstolo chinês que está velho aqui no Brasil. Conheci a igreja local, pela primeira vez em 1969 em San Francisco nos Estados Unidos. Mas, minha amizade melhor foram com Stephen Kown (é assim?) e Christian Chen, dissidentes da igreja local. Sei quando um livro é bíblico e quando não é!

  10. gamar.Deus deixou o céu e veio ficar preso no corpo do homem Jesus.Meu Deus é o Gnosticismo.O mesmo gnosticismo está erguido nestes dias acompanhado de toda sorte de manifestações espirituais,transes,oração contemplativa,as práticas da nova Era,Todd Bblentley,Bob Jones,Rick Joyner.A doutrina é a mesma oriental só que a turma de Dong You Lan tem apenas a doutrina gnóstica que também coloca as pessoas num jugo.Os outros tem a doutrina e as manifestações espirituais.Quem conheceu Nova Era é muito fácil ver o que é do Espírito Santo e o que não é,temos também a palavra como parâmetro,temos o dom de discernimento de espíritos.Paulo defendia os verdadeiros dons do Espírito Santo,mas condenou as doutrinas dos “irmãos” ganósticos bem como seus prodígios.É muita coisa pra explicar,creio que não há mais volta,é a preparação para o ecumenismo e aparição do anti-Cristo estes que colocaram a Nova Era pra dentro da igreja.Se possível até os escolhidos serão enganados….

  11. Lí apenas o primeiro capítulo, disponível na internet…pretendo ler o livro.
    Há um grupo de autores que sugerem essa leitura com o auxílio de outras.
    Tem uma versão revisada(2000) e enriquecida com notas de rodapé e apêndices de A. W. Tozer (Como Provar os Espíritos) e D. M. Panton (Testes para o Sobrenatural), artigo este acrescido de uma carta de Margaret Barber.
    Talvez seja mais esclarecedor.
    Paz!

  12. Olá, pr. João. Uma controvérsia esse livro de Watchman Nee. A bíblia não afirma que o homem tinha poderes mentais evoluídos, antes da queda. Não existe nenhuma referência na palavra de Deus que diz isso. A Bíblia afirma que Deus levou os animais até Adão para que ele desse nome a cada um deles. A Bíblia não afirma que ele preciso dar nomes a todos os animais em um só dia. Talvez tenha levado muito tempo. Ao homem foi dado a missão de cuidar do jardim e não do mundo todo. Ao homem foi dito que enchesse a terra e dominasse-a, ou seja à medida em que fossem multiplicando seriam espalhados pela terra, então o domínio seria completo. Qualquer coisa que a Bíblia não afirma não pode ser dito como verdade bíblica. Watchman Nee deu sua contribuição com o livro o Homem espiritual o restante sendo dele ou não é questionável.

  13. Doutrina espúria e satânica essa criada pelo Watchman Nee, que deve ter sido um cristão autêntico mas jamais deveria ser escritor. Aquele livro Autoridade e Submissão é uma sepultura aberta e recrucifica Jesus, um ensaio do engano que será com a vinda do Anti-Cristo, pois muitas pessoas foram arrastadas por esse ensinamento satânico. O jugo da autoridade foi reposto nos cristãos, e agora a autoridade do pastor está acima de tudo e jamais deve ser desobedecida, ainda que esteja errada, pois foi Deus quem o botou ali (foi isso que o Watchman Nee disse). A Reforma Protestante toda depõe contra essa heresia e minha igreja está contaminada com o espírito de Lúcifer (no sentido clássico). Que Deus detenha toda a fonte do mal, em nome de Jesus. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*