Os novos apóstolos e seus apelos políticos

19 de junho de 2010 4 Por Pr. João de Souza

Pois meus amigos, estou inquieto, muito inquieto e até certo ponto desolado com os apelos que recebo pela Internet. O último apelo que recebi veio da parte de uma pessoa que se apresenta como “apóstola”. Eu a conheço faz tantos anos. É uma pessoa sincera, fiel, grande pregadora. Juntos viajamos, e juntos choramos tantas vezes diante de Deus, intercedendo a favor da igreja e da sociedade brasileira. Mas, ela foi separada para ser apóstola – e, consequentemente nos separamos. Ainda a admiro muitíssimo. Mas, creio que ela perdeu o foco da visão. Não somente ela, mas aqueles que se dizem apóstolos e profetas hoje no Brasil perderam o foco do propósito de Deus – ou conhecem e têm revelação de um foco espiritual e de um propósito divino que desconheço!

Ela apela para que nós os evangélicos nos unamos e votemos na candidata a Presidente Marina Silva. Marina Silva, indiscutivelmente é mulher de coragem e de caráter. Contaram-me que leu meu livro Ecologia à Luz da Bíblia que foi editado em 1992. Excelente mulher.

Mas, particularmente não concordo que os líderes da igreja brasileira fiquem atrelados a candidatos políticos, e que façam apelos para que se vote em algum deles em particular. Ora, basta que se divulgue o perfil educacional, político e religioso de cada um deles, e as pessoas decidirão sozinhas em quem votar.

Os pastores deveriam ficar engajados na obra de evangelização, da edificação do corpo de Cristo, na prática das boas obras e na intercessão contínua diante de Deus a favor da nação.

Por isso, a cada dia fico mais convicto de que a maioria dos chamados apóstolos são falsos – e não estou afirmando que não existam homens que sejam verdadeiros apóstolos. Os verdadeiros apóstolos demonstram seu ministério sem precisar ostentar o título. Isso acontece também com os demais dons ministeriais. Os verdadeiros pastores, mestres, profetas e evangelistas não precisam da ostentação do título para se apresentarem. Eles são o que são. Assim, existem hoje verdadeiros apóstolos, mas não esses que aí estão e ostentam títulos. Ninguém precisa de título para ser respeitado: A autoridade é espiritual e não pelo título ou posição eclesial.

Posso afirmar biblicamente que o falso sempre aparece antes do verdadeiro. Antes de Jesus aparecer, havia muitos que se denominavam Messias. Teudas apareceu no cenário israelita e era acatado “por todo o povo” (At 5.36). Conforme a história muitos surgiram em Israel afirmando serem o Cristo. O próprio Jesus falou sobre isso.

Aguardamos a chegada dos verdadeiros apóstolos, que não pensam em si mesmos, nem no seu reinado, fama, e no enriquecimento à custa do ministério. Jesus Cristo ainda continua sendo o modelo de apóstolo, e seus apóstolos são também modelos de apóstolos. Querer afirmar que vivemos noutra época não é desculpa para se deixar de viver a vida simples, de despojamento a favor do reino de Deus.

É por isso que continuo afirmando que os líderes que aí estão, fazendo política partidária, buscando seus próprios interesses e de seus feudos espirituais não fazem parte do rol dos verdadeiros apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres da Igreja. São falsos. À luz das Escrituras são falsos! Estão enganando a igreja e os escolhidos!

Por que afirmo isto? Porque os verdadeiros apóstolos devem ter algumas características que os assemelhem aos apóstolos da igreja primitiva. E os que andam por aí ostentando títulos de apóstolos sequer seriam indicados para servir as mesas, como os irmãos escolhidos em Atos 6.

Pense nisto!