A Palavra Encarnada

1 de dezembro de 2007 2 Por Pr. João de Souza

Int. A escritura afirma que Jesus era o Verbo, ou a palavra que se fez carne (Jo 1.1,14). E nas escrituras encontramos ainda outro grande mistério: Nós que já éramos carne nos tornamos palavra. Como entender este mistério?

Podemos saber como isto ocorre estudando duas das parábolas de Jesus.

1. A parábola do semeador (Mt 13.1-23).

2. A parábola do joio (Mt 13.24-30, 36-43).

I – Parábola do semeador.

Na parábola do semeador, a semente é a palavra de Deus. Hebreus confirma esta verdade (Hb 4.12). Quando pregamos, não importa o estilo de vida que temos, a palavra é eficaz. Ela nasce entre as pedras e entre os espinhos. E frutifica no bom terreno.

Na parábola do joio, a semente somos nós.

Comparar com a palavra de Pedro: 1 Pedro 1.23-25: “pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor; a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada”.

A palavra “regenerados” tem o sentido de “nascer de novo”. Nascemos de novo pela ação da palavra de Deus. Tiago 1.18: “Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas”.(gerar aqui tem o sentido de sair do ventre). O mesmo sentido que Jesus falou a Nicodemos:

João 3.5-7: “Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo”.

Fomos regenerados, ou nascemos de novo pela ação da palavra de Deus.

“Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus” (Jo 1.13).

A divina semente que é a palavra de Deus é colocada dentro de nós, por isso diz o apóstolo João:

1 João 3.9-10: “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão”.

1 João 5.18-19: Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno.

Evoluir o sermão para a importância de sermos a palavra encarnada. Assim como Jesus é o Verbo feito carne, nós somos a carne que se transformou em palavra. O Logos eterno tornou-se gente; nós nos tornamos pequenos “logos” ou palavras.

II – Parábola do joio (Mt 13.24-30, 36-43).

A) Jesus explica que o semeador, aqui, é o Filho do Homem: “O que semeia a boa semente é o Filho do Homem” (v 37).

1. Ele nos lança pelo mundo, como sementes que devem germinar. (Ex a mulher que semeou sementes de flores ao longo da ferrovia e da rodovia). Tudo ficou florido.
Jesus semeia boa semente no mundo, mas o diabo semeia o joio para atrapalhar o crescimento da lavoura.

2. O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do reino.
Nós fomos regenerados de boa semente e nos tornamos sementes do reino.

3. Semente – esperma. É pequena, mas tem força vital. Jesus falou da semente de mostarda.

4. A parábola do grão de mostarda (Lc 13.18-19). O reino de Deus é semelhante a um grão de mostarda que foi semeado na horta. Ninguém valoriza um grão de mostarda de tão pequeno que é. Mas ele tem vida.

5. Os apóstolos entenderam que nossa vida deve espelhar a vida de Jesus. Aqui o semeador e a semente interagem, são praticamente uma coisa só.

6. Paulo deu testemunho de que manifestou o poder de Deus por palavras e obras (Rm 15.18 e 1 Ts 1.5).

Na prática da justiça e das boas obras:

“Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele” (1 Jo 2.29).

No amor ao próximo e a Deus:

1 João 4:7 “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus” (1 Jo 4.7).

Amamos também a quem nos gerou: 1 João 5:1 “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido” (1 Jo 5.1).

O que é nascido de Deus não vive pecando: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca” (1 Jo 5.18). A árvore boa tem de produzir bons frutos. Jesus disse: “Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons” (Mt 7.18). 1 João 5.4 diz: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”.

Conclusão: O Senhor Jesus está à procura de boas sementes para espalhar a mensagem do reino na terra. Somos boa ou más sementes?