Existe esperança para o Brasil?

O capítulo 1 do livro do profeta Isaías descreve a condição moral e espiritual de Jerusalém naqueles dias. Ao reler este capítulo não vejo mais Jerusalém, mas o Brasil. Isaías começa sua imprecação com “Ai desta nação pecaminosa, povo carregado de iniquidade, raça de malignos, filhos corruptores…” (Is 1.4). Costumo fazer distinção, para efeitos didáticos entre “pecados” e “iniquidade”. Pecados se cometem e são perdoados, mas, iniquidade é um estilo de vida maligno em que o homem deita a cabeça sobre o travesseiro para planejar o mal, pensando em fazer mal. Como afirmou o salmista: “No seu leito, maquina a perversidade, detém-se em caminho que não é bom, não se despega do mal” (Sl 36.4).

O que passa na cabeça de muitos políticos desta nação senão a maquinação para o mal?

“Blasfemaram do Santo de Israel”, fala ainda no versículo 4. O que se vê nos desfiles carnavalescos senão blasfêmia contínua contra Deus? E lá no íntimo muitos brasileiros blasfemam contra o Santo!

A frase seguinte do profeta é o retrato do Brasil: “Toda a cabeça está doente, e todo coração, enfermo. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo.” (Is 1.5-6). Isaías compara a nação a um corpo em que da sola dos pés ao alto da cabeça vê-se apenas feridas. A cabeça pode ser comparada aos líderes da nação e a sola dos pés ao povo!

Não é isso o que se vê nesta nação? O povo reclama dos corruptos, e o povo é o corruptor, como disse o profeta, “filhos corruptores”. O povo reclama da roubalheira no campo social e político, mas, na primeira oportunidade será o primeiro a saquear lojas e mercados de suas cidades. Sim, porque da sola dos pés, do povão, até a cabeça, os líderes a chaga é uma só!

A chaga ou ferida está no corpo inteiro. E, nesse corpo podem ser incluídos também os falsos pastores, falsos apóstolos e profetas que lucram com a desgraça alheia. Muitos líderes religiosos reclamam do enriquecimento ilícito de certos políticos, mas eles mesmos se enriqueceram à custa de pregações e promessas mentirosas ao povo. Enriqueceram-se pregando prosperidade ao povo, sendo, eles mesmos os que maior riqueza obtém explorando o povo. Por isso os grandes templos estão repletos de gente ansiosa em busca de soluções, de um milagre que lhes é anunciado como garantia de salvação.

“Se o SENHOR dos Exércitos não nos tivesse deixado alguns sobreviventes, já nos teríamos tornado como Sodoma e semelhantes a Gomorra” (Is 1.9). Louvado seja Deus pelo remanescente fiel, pela parte da igreja que não se contaminou com o sistema do mundo, porque não fosse a fidelidade desse remanescente, certamente Deus teria trazido sua vara de justiça sobre esta nação.

Até mesmo para esta parte da igreja que é fiel a Deus, que preserva a ética, a moral e a espiritualidade sadia, a exortação é forte: “Aprendam a fazer o que é bom. Tratem os outros com justiça; socorram os que são explorados, defendam os direitos dos órfãos e protejam as viúvas” (Is 1.17 NTLH).

E, o convite a todos é: O SENHOR Deus diz: “Venham cá, vamos discutir este assunto. Os seus pecados os deixaram manchados de vermelho, manchados de vermelho escuro; mas eu os lavarei, e vocês ficarão brancos como a neve, brancos como a lã” (Is 1.18).

Quer dizer, existe cura para esta chaga! A igreja, o remanescente fiel de Deus nesta nação terá que encabeçar e viver com ética, moral e espiritualidade sadia sem se corromper com o sistema político e social que deixou a nação brasileira tomada de feridas. A cura, certamente, virá por esse remanescente.

5 Responses to Existe esperança para o Brasil?

  1. Meu querido amigo! Você é verdadeiro profeta. Um dos poucos que conheço! Grande abraço.

  2. progn disse:

    Em 1791, um jovem pastor ingles chamado William Carey criou a Sociedade de Missoes no Estrangeiro, para dar suporte no envio de missionarios, sendo a India o primeiro campo missionario.

  3. Ronaldo disse:

    Ola amigo quando o povo de Deus gemia Ele tirava os reis e hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*