Provérbios 31 – A utopia da mulher virtuosa

Provérbios 31 – A utopia da mulher virtuosa

25 de novembro de 2016 20 Por Pr. João de Souza

Utopia é o termo criado por Thomas More (viveu entre 1480 e 1535) e idealizou em seu livro UTOPIA a sociedade perfeita – surgindo a partir daí a ideia de uma sociedade igualitária. Isto é, um sonho, uma coisa impossível de se ter!
O texto de Provérbios 31.10-31 em minha análise é o da mulher utópica, inexistente, e o texto precisa deve ser entendido à luz do contexto cultural da época de Salomão. Por sugestão da minha esposa vou chamá-la de super-mulher.

Primeiro. Não é Salomão quem escreve, mas o rei Lemuel que recorda as palavras que lhe ensinou sua mãe. “Palavras do rei Lemuel, de Massá, as quais lhe ensinou sua mãe”.

Segundo. Esse era o sonho da mãe do rei Lemuel: Uma esposa mais que perfeita! “Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias” (v. 10). Resposta: Ninguém. Essa mulher não existe!

Terceiro. A mulher no contexto do AT não tinha a autonomia financeira nem social para fazer todas as coisas do restante o capítulo. Não se encontra na história bíblica mulheres que eram chefes da casa, negociantes e que superavam seus maridos.

Quarto. Onde residem as discrepâncias? Ora, se se levanta de madrugada e dá ordens às servas, então é uma mulher rica (v. 15), o que contrasta com o v. 13-14 em que ela mete a mão na máquina de costura (na roca) para tecer a lã (vv. 13 e 19). Uma mulher rica dá ordens e não precisa desfiar a lã e fazer o fio.

Outra discrepância está no v. 16: “Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com as rendas do seu trabalho”. Não se vê no contexto da mulher do AT tal independência financeira, visto que o esposo era quem negociava e cuidava das finanças.

Quinto. É a mulher dos sonhos de qualquer homem, e era o que a mãe de Lemuel queria para o filho.
Hoje, este texto, geralmente é ensinado nos círculos de oração, nos congressos femininos por mulheres solteiras, visto que anelam ser a mulher de Provérbios 31. Se essa mulher fosse verdadeira haveria menção dela em outras partes do Antigo e do Novo Testamento.

Quem sabe, por ser a mulher padrão ou a super-mulher tão sonhada por pastores, as esposas dos líderes se sentem diminuídas ao lerem este texto da Bíblia, sentem que sua baixo auto estima piora, porque, quem sabe tudo o que uma esposa-líder tem hoje – com raríssimas exceções as “apóstolas” ou esposas de “apóstolos” é um cartão de crédito limitado para comprar algumas coisas ao mês; mas a super-mulher de Provérbios tem muitas empregadas, é negociante, vende e compra. Um detalhe, porém, deixa as mulheres de hoje extasiadas com essa mulher: “A força e a dignidade são os seus vestidos e, quanto ao dia de amanhã não tem preocupações…” (v. 25). Cada domingo aparece no culto com um vestido novo!

Que esposa de pastor ou de líder hoje não se preocupa com o que vestir e comer amanhã?
A mulher verdadeira, sim, está no v. 28: “Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa”. Ah! Isso acontece aos domingos, depois que todos enchem a barriga com o almoço preparado por essa mulher formidável!

No entanto, apesar de que essa mulher, a meu ver não existe, existem, sim, mulheres hoje que, dentro de suas limitações são mais virtuosas que essa mulher que a mãe de Lemuel sonhava pro seu filho.

Por que? São mulheres que fazem milagres com o pouco dinheiro que têm. Que suportam esposos machões e autoritários e ainda sim são felizes. Cuidam dos filhos e depois dos netos. Existe, sim, um tipo de mulher virtuosa que consegue fazer a carne do almoço se multiplicar; que conta as moedas para comprar o pão; que todos os dias está no fogão e, suporta os muitos hóspedes que seu marido traz pra dentro de casa – sem combinar com a esposa! Essa mulher virtuosa não é utopia, é verdadeira.

Cada esposo tem uma mulher dessas dentro de sua casa, em grau menor ou maior melhor que a de Provérbios 31.
Senhora mãe de Lemuel, se a senhora vivesse hoje, certamente sonharia com uma esposa – você mesma – morando numa mansão, cercada de empregadas, com um carro último tipo na garagem, saindo todos os meses para fazer compras em Nova Iorque ou Paris. Lemuel, a mulher que sua mãe sonhou pra você existe, sim, nas casas simples de madeira, de pau a pique, buscando água na fonte; fazendo faxina pra ajudar no sustento da casa; varando a noite na máquina de costura, ajudando no círculo de oração, dirigindo o coral e, ainda que cansada satisfaz as necessidades sexuais de seu esposo.

Estas, sim, são mulheres virtuosas! A que sua mãe anelou foi sonho dela!