Páscoa: Celebração da vitória da vida sobre a morte!

A igreja nem sempre se dá conta da importância de se manter celebrações no calendário cristão, conhecido como “calendário litúrgico”. Essas datas cristãs não são levadas à sério, especialmente entre as igrejas pentecostais e as neopentecostais.
Ora, o Natal, a Páscoa e o Pentecostes são datas importantes no calendário da igreja. Existem algumas contradições quanto a celebração do Natal, porque a data não coincide com a época exata desse magno acontecimento. Basta, no entanto celebrar o Natal sem o papai-noel. Este tem de ficar do lado de fora da igreja.
Agora, Páscoa e Pentecostes são ainda mais importantes pelo papel que tem no mundo espiritual e, consequentemente, no calendário da igreja. A Páscoa celebra a vitória de Jesus Cristo sobre a morte; a derrota de Satanás; celebra o momento em que Jesus Cristo toma para si a chave da morte e do hades, além de ter muita importância no mundo espiritual. O Pentecostes trata da descida do Espírito Santo a terra para capacitar os cristãos no cumprimento da grande comissão.
A páscoa que quer dizer “passar por cima” e foi instituída por Deus na noite da saída do povo de Israel do Egito e se tornou um marco da vitória da vida e da liberdade, sobre a escravidão e morte que engolfavam o povo no Egito. Na ocasião cada família tomou um cordeiro, matou-o e aspergiu o sangue sobre as vergas das portas e janelas. O anjo da morte não entrou na casa onde havia sangue.
Cristo Jesus é chamado de cordeiro pascal, e sua morte representa a libertação do mundo da escravidão do diabo. “Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado” (1 Co 5.7).
Resumindo:
1. Jesus, o cordeiro pascal liberta o homem da escravidão do pecado. Jesus veio ao mundo e morreu “… para resgatar os que estavam sob a lei” (Gl 4.5). João quando viu a Jesus exclamou para seus discípulos: “Eis o cordeiro de Deus” (Jo 1.36).
2. A morte e ressurreição de Jesus têm implicações no mundo espiritual e devem ser celebradas na Páscoa e no domingo da ressurreição como a vitória da vida sobre a morte; a vitória da liberdade sobre a escravidão. Jesus se apresentou a João na ilha de Patmos como “aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno (Ap 1.18).
3. Na Páscoa os grilhões da morte são rompidos. “Tragada foi a morte pela vitória. Onde está, ó morte a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?” (1 Co 15.54-55).
4. A celebração da Páscoa proclama a Satanás que ele foi derrotado. “Porque convém que ele (Jesus) reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos pés” (1 Co 15.25).
5. Na Páscoa todos os demônios e seu chefe Satanás sentem a vergonha da derrota, porque Deus em Cristo Jesus “… nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados” (Cl 1.13-14).
“Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Cl 2.14-15).
6. A ceia que os cristãos celebram tem esta implicação no mundo espiritual: Cada vez que um cristão participa da ceia do Senhor proclama ao mundo espiritual, tanto o celestial como o de Satanás que Jesus é o vencedor e que tem domínio sobre a morte e o inferno. “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha” (1 Co 11.27).
A igreja anuncia ao mundo espiritual que Jesus voltará! E isto mete medo no diabo e suas hostes!
7. A Páscoa proclama também a vitória final de todos os crentes sobre o diabo: “E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás” (Rm 16.20).

Um feriadão chamado páscoa

Assim, quando os irmãos da igreja aproveitam esta data para viajar e se divertir perdem o foco da Páscoa e caem na cilada do diabo. Por coincidir com um grande feriado os irmãos gostam de viajar, e esquecem que a celebração da Páscoa no domingo da ressurreição ou na chamada sexta-feira santa é uma bofetada na cara do diabo. Quando os crentes se omitem desta celebração Satanás agradece satisfeito!
E ferem ainda mais o cordeiro de Deus e dele escarnecem quando entram no sistema do mundo trocando o cordeiro de Deus pelo coelho; o pão que é o corpo de Cristo por um ovo de chocolate, elementos novos introduzidos pelo diabo para desviar o foco da batalha espiritual.
Nas religiões de matriz africana na sexta-feira santa os barás são soltos de suas casas (aquelas casinhas de cor vermelha que mais parecem casinhas de cachorros que ficam nos pátios das casas), para fazerem batalha espiritual contra a igreja e contra os cristãos.
Os satanistas aproveitam esta data para sacrificar porcos e zombar de Cristo e existem suspeitas de que se envolvem em sacrifícios humanos!
Então, meus irmãos, aproveitem a data para celebrar a vitória de Jesus sobre a morte, sobre Satanás e seus demônios. Ainda que você aproveite o feriado para descansar, reúna sua família na casa de praia e em vez de só comerem ovos de chocolate, comam do pão e bebam do vinho proclamando a vitória de Jesus sobre as forças do mal!
A Páscoa foi vulgarizada e os culpados somos nós!

About Pr. João de Souza

Pastor, escritor, historiador e pesquisador bíblico

View all posts by Pr. João de Souza →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*