O gadareno e a cultura das cidades

Marcos 4.1-20

Int. Não é comum temporal de vento no lago da Galiléia e é possível que Satanás provocou o vendaval para matar a Jesus “que dormia na popa do barco” (4.35-41). Veja o caso da tragédia que se abateu na casa de Jó (Jó 1.13-22).

5.2: Um homem vindo dos sepulcros. Ainda hoje certas religiões de origem satânica preferem túmulos e sepulcros; cemitérios e cheiro de morte.

Este homem era dominado por um espírito imundo.

5.3: Sua casa era nos sepulcros, nas covas das rochas e montes locais onde sepultavam-se os mortos.

5.4: O homem era violento, incontrolável, forte.

5.5: Não tinha sossego; andava e perambulava de dia e de noite. Não dormia; não parava nem se assentava. Machucava-se e se cortava com pedras e rochas. Vivia descalço.

Lucas diz: “Logo ao desembarcar, veio da cidade ao seu encontro um homem possesso de demônios que, havia muito, não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém vivia nos sepulcros” (Lc 8.27).

Os judeus afirmam que uma pessoa que vive nos túmulos fica possuída por um espírito imundo, e dizem isso a respeito das pessoas que consultam os mortos (necromancia). E também as pessoas possuídas por espíritos imundos são impelidas a buscarem coisas nos cemitérios.

Vivendo nos cemitérios os demônios espalham o conceito de que as almas, depois de mortas, perambulam por entre os túmulos.

O diabo é um terrível patrão a todos os que se lhe submetem.

5.6: Viu Jesus, correu e o adorou. Não era uma adoração reconhecendo Jesus como seu Senhor e Salvador, mas uma adoração apavorante, cheia de medo e de angústia. Adorou a Jesus como faz muita gente, num ato de desespero e de angústia, de medo e de pavor.

É possível também que o homem – e não os demônios – se prostrou diante de Jesus suplicando por libertação. Porque o espírito interior de uma pessoa tem consciência plena do que lhe está acontecendo.

O homem correu e se prostrou, mas foi o diabo que nele estava quem clamou.

5.8: Jesus repreendeu o espírito imundo.

5.9-10: A legião de demônios (cerca de 100 deles) pediu que não os mandasse para fora do país.

 “Bem sei quem és: o Santo de Deus!”. Os demônios conheciam a Jesus.

Os demônios, chamados na Bíblia de “espíritos familiares” ou terafins conhecem seu habitat. Conhecem o prefeito, o padre, o pastor, o bodegueiro, os bêbados e prostitutas; conhecem o comércio e a indústria (às vezes são invocados para ajudar nos negócios para que tudo prosperem) e conhecem as famílias.

Um pastor, sem perceber aprende a conviver com os demônios e fazem juntos uma parceria espiritual. E os demônios gostam de comparecer às suas reuniões para se manifestarem e darem seu show particular.

Particularmente, em várias instâncias os demônios mandaram que me chamassem como condição para deixarem aquelas vidas. Isto é perigoso. Primeiro, porque insufla orgulho de sua espiritualidade; segundo, porque ao obedecer entra-se em pareceria ministerial com os demônios.

Eles conheciam a Paulo (At 19.13-17). Conheciam a Jesus.

Deve-se ter cuidado para que os demônios não se associem como divulgadores do ministério, nem se pode permitir que usem de nosso rastro ministerial para darem seu show particular. Durante vários dias, uma mulher com espírito de adivinhação, anunciava que os apóstolos eram servos de Deus: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação” (At 16.16-18).

Alguns pregadores criam certa familiaridade – e vice-versa – com os demônios, às vezes de maneira explícita, usando os demônios em suas reuniões, utilizando-se deles para trazer temor ao povo.

5.11-14: Os porcos nas Escrituras são vistos como coisa imunda, mas criar porcos é um bom negócio. O filho pródigo acabou trabalhando numa criação de porcos (Lc 15.15-16).

O que aconteceu com os demônios? Eles não pereceram, apenas os porcos. Para onde foram? Saíram em busca de novas vítimas (Mt 12.43-45).

5.14: Os donos dos porcos fugiram apavadorados e anunciaram pelos campos e na cidade o prejuízo que tiveram.

Eles não estavam felizes em ver uma pessoa liberta; sentiram-se prejudicados.

5.15: O povo veio para onde Jesus estava e viram o que tivera a legião “assentado, vestido, em perfeito juízo e ficaram com medo”.

O gadareno e seus demônios

Parte prática

O povo conhecia o homem. Aquele endemoninhado era parte da sua cultura e da sua cidade. Quem as cidades preferem? Preferem o curandeiro; divulgam cantores que vivem drogados; chamam de heróis os que morreram por overdoses; cultivam seus poetas bêbados, os cantores da boemia, preguiçosos e lascivos; cultuam pessoas como Jimmy Hendrix, Raul Seixas, Paulo Coelho, um bruxo declarado plagiador; os músicos baianos que consagram suas canções nos altares do candomblé; políticos corruptos etc. Os demônios são preferíveis a pessoas sãs que dão suas vidas em favor dos pobres e necessitados, que pagam impostos em dia…

5.17: E pediram que Jesus se retirasse da terra deles. Por que não queriam que Jesus ficasse ali? Veja o contraste: O homem liberto queria a Jesus; seus vizinhos queriam que o homem continuasse endemoninhado.

Algumas razões:

1. O gadareno percebeu que o povo não o queria em perfeito juízo; o povo o queria como antes. As pessoas preferem conviver com seus demônios a ter em suas cidades pessoas de bom senso. Preferem os loucos aos sóbrios.

2. A economia da cidade ficou prejudicada. O evangelho quando chega numa cidade mexe com a economia que está aliada aos demônios. Veja Atos 19.18 e ss. As pessoas foram libertas em Éfeso, mas os comerciantes tiveram prejuízos e exigiram que os apóstolos saíssem dali (19.24-29).

3. Certas comunidades têm seus negócios em parceria com os demônios: Preferem o cultivo de fumo ao cultivo de mandioca ou hortaliças. Porque o fumo vicia e lhes permite ganhar mais dinheiro. Preferem um alambique a uma boa produção de sucos de uva ou garapa; porque o álcool vicia. A mesma sociedade que critica o fumo incentiva os produtores rurais a produzirem cada vez mais porque o fumo contribui com bons impostos para o país.

4. Certas cidades vivem de fábricas de escravidão produzindo bens que viciam e prejudicam o povo, mas lhes dá lucros certo.

5. Os comerciantes e produtores de Gadara reconheceram que houve um milagre com um de seus cidadãos, mas o preferiam assim, doente e enfermo, porque dava lucro aos seus hospitais, à indústria farmacêutica etc. O gadareno em perfeito juízo só lhes dava prejuízo.

6. A cultura de uma cidade costuma girar em torno de seus demônios: Idolatria, festas, procissões. O governo prefere gastar milhões com as passeatas gays porque esses enchem os hotéis e restaurantes e dão lucro; mas encolhe a mão quando é solicitado a colaborar com uma passeata dos crentes, porque estes não bebem e não gastam como aqueles.

7. Até numa igreja ou denominação os demônios deixam sua digital, seu “print”, sua marca registrada!

Conclusão:

Não se deve brincar com os demônios. Eles conseguem sorrateiramente entrar na cultura dos povos e bloquear qualquer intenção de fazer que uma cidade seja do Senhor Jesus. Nem sempre as cidades querem ser de Jesus!

12 Responses to O gadareno e a cultura das cidades

  1. Luiz Antonio disse:

    Sempre uma Palavra de Deus coerente e atualissima.As nações, as cidades estão corrompidas pelo pecado e o mal controla suas estruturas e colocam o Rei dos Reis de lado.Mas como sempre os homens podem escolher o governo do Senhor Jesus e serem libertos.

  2. Alexandre Coelho disse:

    Graça e paz, Pastor João! Suas ministrações são diretas e abençoadoras. Sou gaúcho, estou no Pará e no fim de ano estaremos voltando para o sul, talvez estarei indo morar em POA. Se formos, gostarei muito de conhece-lo pessoalmente. Até mais, Deus abençoe!

  3. Julio César Medeiros disse:

    Paz, Pr. Foi extremamente elucidador o tema que o senhor abordou neste artigo.Eu confesso que possuia muita dificuldade em entender esta passagem, mas o seu comentário foi muito esclarecedor e me mostrou aspectos que até então eu desconhecia.
    Rogo a Deus por tua vida e que os seus ensinos continuem ajudando pastores que, como eu, lidam dia a com situações demoniacas.
    Deus te abençõe.

  4. alexsandro disse:

    boa argumentação, concordo plenamente.

  5. eneida disse:

    ola pastor!!!!a paz do senhor jesus!!!
    Deus e fiel… estava hj lendo sobre os gadarenos….e fiquei me perguntando se esse povo adorava a porcos… e sua ministracao tao poderosa em Deus veio e me respondeu….
    estou maravilhada com tudo que foi ministrado ….sua ministracao movida pelo Espirito santo trouxe -me muito entendimento e revelaçao….
    que Deus nosso pai… possa te abencoar a cada dia mais…. dando-lhe mais e mais relacionamento com ele….um forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*