Cânticos vazios para corações vazios

Meus leitores enviam respostas às postagens que faço no site www.pastorjoao.com.br alguns concordando comigo, outros lançando impropérios contra minha vida, especialmente quando teço críticas às letras de canções gospels sem conteúdo bíblico-teológico. Basta ler os comentários no site e o leitor verá como pensam alguns dos meus leitores.

Esses últimos saem em defesa de seus ídolos; eu saio em defesa da fé e da originalidade da palavra de Deus. Ao longo de quase cinquenta anos de ministério – e não tenho nada que me gloriar deste fato, a não ser a experiência com Deus e sua palavra – examinei muitas letras de cânticos à luz das doutrinas bíblicas. Em meu primeiro livro, O Ministério de Louvor da Igreja editado pela Editora Betânia em 1985 já mencionava alguns dos cânticos da época, inclusive cânticos dos hinários como Harpa Cristã e Cantor Cristão que também carecem deste quesito teológico.

Sempre aprendi que a igreja vive o que canta. Quando a igreja canta a palavra de Deus assimila as verdades da Bíblia e passa a vivê-las. Ora, na década dos anos de 1980s vários cantores gravaram trechos inteiros da Bíblia Sagrada que tratam da salvação e do propósito eterno de Deus, bem como vários temas do livro dos Salmos.

Quando as pessoas começam a entoar letras vazias de conteúdo bíblico se enchem apenas da música e não da palavra de Deus; e, quando cantam letras não bíblicas põem para dentro de seus corações ‘verdades’ que não são eternas.

Atribui-se a John Philip Souza, o autor americano que escreveu a maioria dos hinos patrióticos dos Estados Unidos da América do Norte a frase, mais ou menos assim: “Deixe-me fazer as letras que o povo canta e não me preocuparei com quem faz suas leis”. Ele sabia que o povo vive o que canta. Porque a música e sua letra trazem mais efeito no coração e destino de uma pessoa que as leis feitas por nossos legisladores. As leis brasileiras não conseguem deter o furor, a permissividade e a violência em alguns dos funk cariocas. Quando ouço as letras funk imagino o que ele estará produzindo no coração daqueles jovens que esnobam som alto em seus carros pelas ruas da cidade!

A mesma verdade se aplica às letras de algumas músicas evangélicas!

Veja as letras do Asaph Borba; do Adhemar de Campos e do Gerson Ortega, apenas para citar estes três dinossauros da música cristã brasileira. São cheias de rima, poesia, métrica e biblicamente corretas, porque Asaph, especialmente, sempre faz que suas letras passem pelo escrutínio dos líderes da igreja que ele frequenta. Compare-as com as letras dos novos cantores gospels e você se surpreenderá quão vazias de conteúdo são as músicas atuais.

E quero dizer aos críticos que me interpelam e me ofendem, que escrevi seis livros na área do louvor: O Ministério de Louvor da Igreja; O Louvor e a Edificação da Igreja; Ministério de Louvor: Revolução na Vida da Igreja; Formando Verdadeiros Adoradores (Editora Betânia); Deixem Soar os Tamborins e O Livro de Ouro do Ministério do Louvor, este último laureado com o prêmio Areté 2011, pelas editoras cristãs. Ainda publicarei um compêndio com comentários sobre todos os cânticos e poemas da Bíblia de Gênesis a Apocalipse. (Espero um editor).

Li e reli muitos livros seculares que falam do poder da música, entre eles O Poder Oculto da Música e O Som do Universo para basear minhas pesquisas.

Ora, assim como as pregações hoje se limitam a dois extremos: Pregações re-te-té (entre grupos pentecostais) e pregações de cunho motivacional – deixando-se de lado a verdadeira pregação, porque pode ofender as pessoas – os cânticos modernos são vagos, motivacionais e egocêntricos, pois falam das vitórias que eu terei; da prosperidade que acumularei deixando de lado a mensagem de Cristo.

 É hora de acordar para a realidade. É hora de ler e estudar as Escrituras Sagradas. A razão de se aceitar qualquer letra de cântico é por desconhecer as Escrituras. No momento em que as pessoas deixarem a palavra de Cristo habitar em seus corações (Cl 3.16), verão que não há espaço para outra palavra em sua vida que não seja a das Escrituras Sagradas.

E veja bem: Nem estou falando de estilo musical; de ritmo e de uso de instrumentos porque estas coisas são culturais. Cada povo em sua cultura, e até mesmo na cultura denominacional de algumas igrejas usa-se o estilo que lhes é apropriado e o ritmo que lhes convém. Estou falando da verdade de Cristo que não aparece nas letras insossas, sem sabor; letras que não ajudam na transformação interior das pessoas, mas que apenas alimentam suas almas e anelos pessoais. Sim, porque quando a letra é bíblica, a verdade é apetitosa, gostosa, apreciável e inquestionável na transformação do indivíduo.

Por isso, boa parte das letras dos cânticos hoje são letras vazias para corações vazios. Ou será que são letras vazias para corações mundanos? Letras vazias para corações que não amam verdadeiramente a Cristo?

Pense nisso, e me responda sinceramente se estou certo ou errado!

29 Responses to Cânticos vazios para corações vazios

  1. Concordo devemos refletir sobre estas duas questões aqui abordadas de forma brilhante.
    As pregações e musicas que trazem o bem estar da plateia, mais não aplica as verdades da Bíblia.

  2. ROGERIO GUBERT disse:

    Questiono se alguma parte desse “vácuo” nas letras se deve também à pior formação secular (ensino básico/médio/superior). Não sou escritor, mas vejo que a cada geração a linguagem escrita fica pior.

    A leitura é superficial e todos são formados em “google-logia”. Não sei se estou ficando velho e “crica”, mas está cada vez mais difícil ouvir algo que valha a pena, seja música ou pregação.

    Como usar nosso senso crítico sem virar um “chato”?

    Certas vezes prefiro me abster de comentários, principalmente nas igrejas, pois não quero ser uma pedra de tropeço para os novos na fé.

    Descobri seu site recentemente e gostaria de parabenizá-lo por esta iniciativa. Muito edificante.

    Grande Abraço.

    • Rogério. Você não está ficando velho, amigo; você está ficando experiente! E está certo quando afirma que esta nova geração tem um português péssimo, que eu nem aguento ler em redes sociais, e que as pessoas recorrem ao Google como fonte de verdade, e ali encontram de tudo, mentira e verdade, mas, como não têm maturidade espiritual não sabem discernir a verdade do erro. Muito grato por seu comentário.

  3. Pr. Milton Francisco dos Santos disse:

    Concordo plenamente com o senhor, Pr. João, as músicas cantadas hoje em muitas de nossas igrejas evangélicas, não tem conteúdo bíblico algum. São músicas (não chamo de hinos) vazias para pessoas que também estão vazias. Por isso que eu em minha congregação ( Assembléia de Deus), procuro nos cultos de ensino (doutrina) passar para a igreja. Até uso alguns textos que vejo em seu site, como referencia.

    Pr. Milton.

  4. Bianca Duarte disse:

    Certíssimo! que DEUS o abençoe todos os dias, para que a verdade do evangelho continue sendo ditas por ti e cridas por muitos.

  5. Flavio Lima disse:

    A boca fala do que esta cheio o coraçao. Se ele esta cheio da Palavra de Deus que e o proprio Senhor Jesus nao tem como os canticos que saem da boca serem desagradaveis a Ele. Parabens pastor Joao! Em relaçao aos improperios deicho a Palavra que esta em Galatas 1:10 para sua vida.

    um abraço fraternal,

    seu irmao em Cristo
    Flavio F. Lima

    • Meu querido Flávio. Sempre devemos levar em conta que são raros os cânticos feitos para Deus, com sinceridade de coração. A maioria dos cânticos são feitos pensando-se no sucesso e na fama que terá nacionalmente. E isto é ruim!

      • Eliene Sousa disse:

        Por muitas vezes tenho me preocupado com minha situação diante de Deus, pois a certas pregações e louvores que se quer consigo pensar no que seria diante do Senhor, e penso: será que o problema é comigo? será que estou julgando meus irmãos, e fico muito angustiada, pq na verdade são musicas onde vejo as pessoas dançarem e baterem palmas com sorrisos,mas, não sei se aquilo é adoração e me vejo no meio do templo como um expectadora daquela situação, por vezes me censuro e ate repreendo pois não quero ser usada pelo inimigo para julgar os meus irmãos,porém, quando me deparo com um sit como o seu, acho que o problema não é comigo.

  6. Ivan Daniel Beltran Rico disse:

    Graça e Paz de Cristo!
    Concordo, o pastor está certo.
    Infelizmente, muitas das músicas de hoje “ditas gospel”, agradam mais o mundo do que edifica a igreja. A Bíblia tem sido substituída por experiência pessoal de caráter duvidoso, o ensino cristocêntrico tem perdido espaço, por mensagens egocêntricas e triunfalistas. É lamentável, ver que alguns Ministérios de Louvor, classificam como música espiritual, aquela que é novidade, sucesso de vendas e pela extravagância de quem a interpreta.
    Não é de se admirar que a música gospel tenha encontrado espaço no meio secular, com tanta superficialidade, aliás, o mercado gospel agrada o mundo não para convertê-lo, mas sim convencê-lo, a torna-se um consumidor da música gospel fast-food, que alimenta o corpo e não a alma.
    PS. Gostaria de comprar o livro “Ministério de Louvor: Revolução na Vida da Igreja”, pois já tenho os outros livros de sua autoria, eu sei que este livro está esgotado, já procurei nas distribuidoras, sebo e internet, onde posso adquiri-lo?

    • Ivan. Obrigado por sua participação neste fórum em que denuncio algumas músicas e cantores gospels. Concordo: Faz-se música para agradar as pessoas, e não a Deus. E ainda, como pastor, tenho que suportar isto nos cultos onde vou pregar!

  7. Marluce disse:

    Pois é, Pr. João, hoje em dia, muitos que se dizem cristãos saem em defesa dos ídolos e não de Cristo. Basta dizer a verdade do que certos cantores gospel cantam que “os cristãos” levantam a bandeira em defesa, principalmente, ser for louvores do Diante do Trono, Tales Roberto e entre outros famosos. Concordo plenamente que muitos louvores são vazios e carecem da verdade bíblica. Deixei de ir a alguns eventos evangélicos porque vejo muito mais adoração à ídolos do que ao nosso Deus. Muito marketing e pouca Palavra. As pessoas passam a ir para os show não para louvar e adorar a Deus, mas apenas porque determinado cantor vai estar presente. É impressionante a fila que se forma depois do show para pegar autógrafos e tirar fotos para postar em facebook. Infelizmente, é assim que muitos “evangélicos” estão agindo. O louvor e a adoração estão sendo para os homens e não para Deus. É isso aí, Pr. João, continue analisando “louvores” vazios e abrindo nossos olhos para verdade bíblica.

  8. denízia gomes de andrade coelho disse:

    OLÁ PASTOR BOA TARDE!GOSTO MUITO DE LER SUAS ANÁLISE DE CÂNTICOS,POIS O PASTOR DA MINHA IGREJA,ELE TAMBÉM ANALISA TODAS OS CÂNTICOS QUE CANTAMOS.OBRIGADO POR ESSAS POSTAGENS É MUITO BOM.OU MELHOR SÃO ÓTIMOS.
    UM ABRAÇO.

  9. Antonio disse:

    Pastor, descobri agora seu site e li essa matéria, que gostei muito, apesar de o sr. não se aprofundar muito nos detalhes do tema, mesmo assim é um ótimo resumo. Gostaria de deixar minha opnião, pois concordo com um leitor aqui que afirma que nossa sociedade carece de melhor desemvolvimento das abilidaeds intelectuais, vejo que hoje em dia as pessoas se preocupam muito em gastar seu tempo em coisas imediatas e, muitas das vezes, banais e sem retorno concreto, é raro até mesmo nas igrejas ver um irmão sentado por várias horas paenas lendo! isso se aplica no nosso contexto, seu disso porque sou estudante de sociologia e vejo que os alunos tem muita dificuldade em acompanhar as aulas justamente pela falta de leitura no decorrer da vida. Fica aqui meu recado aos novos na fé, mudem não só de direção no arrependimento, mas também de atitudes individuais, leiam mais, não só a Bíblia (principalmente), mas também outros livros, como os de literatura e outros conhecimentos, tenha firmeza na sua fé e não se deixe levar pelo que outros dizem ou fazem, seja você mesmo o seu crítico e deixe Cristo sem seu mentos. Um abraço e fique na paz.

  10. Edjalmo borges garcia disse:

    Prezado, concordo plenamente, os cultos tem sido para homens e não para Deus. Uma grande maioria só cantam louvores onde estão sempre pedindo algo pa Deus, como milagres e libertação. o culto deve exclussivamente para Deus;

  11. Heder Junqueira disse:

    Quando criança, em meados dos anos 80, havia cultos evangélicos perto de casa. Minha avó e eu, católicos, ficávamos no pátio de nossa casa, escutando a Palavra e escutando os hinos evangélicos cristãos. Pessoas comuns, cantando os hinos, até de forma desafinada, porém com amor, com sinceridade, com verdade. Lembro-me de muitos desse hinos. Já no final dos anos 90 eu senti essa mudança nos hinos evangélicos. A cada hora surge um falando exatamente disso que você citou: tudo egocêntrico, sem falar que tratam Deus como escravo, querendo a toda hora e todo custo um milagre, esquecendo que existe a vontade de Deus. Que Deus é quem sabe os melhores momentos para nós, e que devemos ter paciência para as cosias d’Ele. Ele sabe o que é melhor para nós. Muitas vezes, nos ônibus, pessoas colocam celulares no máximo, escutando essas músicas, e relembro imediatamente daquela época dos cultos perto da casa de minha avó. As coisas mudaram para pior, infelizmente, nesse sentido. Parece que mesclaram o mundano com o bíblico, mas essa mistura só enfraquece as verdades bíblicas. Espero, sinceramente, que reencontrem o caminho dos verdadeiros hinos, mesmo que seja um cântico por ano, mas bem fundamentado, como antes era, do que 10 por menos, mas ocos e sem sentido para quem realmente quer, de fato, escutar a palavra do Senhor.

  12. Samuel Klawa disse:

    Já viste este Pr. João?
    um abraço
    O que tua glória fez comigo

    Eu me rasgo por inteiro
    Faço tudo, mas vem novamente
    Eu mergulho na mirra ardente
    Mas peço que Tua presença aumente

    Eu me rasgo por inteiro
    Faço tudo, mas vem novamente
    Eu mergulho na mirra ardente
    Mas peço que Tua presença aumente

    E se eu passar pelo fogo não temerei
    Na tua fumaça de glória eu entrarei
    Longe do Santo dos Santos não sei mais viver

    Quem já pisou no Santo dos Santos
    Em outro lugar não sabe viver
    E onde estiver clamar pela glória
    A glória de Deus

    Glória, glória, glória, glória
    Santo, Santo, Santo, Santo
    Kadosh, Kadosh, Kadosh, Kadosh
    Holy, Holy, Holy, Holy

    Quem já pisou no Santo dos Santos
    Em outro lugar não sabe viver
    E onde estiver clama pela glória
    A glória de Deus
    Glória, glória, glória, glória

    • Essa letra e cântico eu não conhecia. Ainda não chegou nos arraiais do Rio Grande do Sul onde resido. Obrigado.

      • Eliane Silveira Portugal disse:

        Boa noite, Pr. João de Souza
        Que ótimo descobrir seu site e ler uma matéria tão proveitosa. É o que estava procurando e, justamente procurava uma opinião sobre a música da mirra ardente que (Deus me perdoe) acho horrível (letra e música). Por favor pr., opine. E a “Deus é Deus” de Delino Marçal?. Na minha opinião, sem conteúdo nenhum e sem rimas como tantas no meio evangélico. Choveu no molhado. Com todo respeito ao autor da música.
        Um grande abraço
        Eliane S. Portugal

  13. Samuel Klawa disse:

    Olá Pr João.
    Sempre é saudável termos uma voz que traz luz e questionamentos à nossa “hinologia”nos dias atuais, tão carente de Palavra, verdade é coerência teológica.
    Penso que vivemos dias onde também está sendo deixado de lado o poder de ensino da música, já que ,letras erradas produzem ensino errado e letras rasas produzem ensino razão.
    Parabéns pelas análises e coerência.
    Um abraço

  14. Laurinda disse:

    Oi pastor, Lovado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo!
    Fiquei muito feliz em ler sua mensagem de alerta ao ministério de louvor e a nós todos enquanto Igreja à caminho do Pai. Sou Católica e temos essa mesma preocupação com os cantar em nossas celebrações… foi como se ouvisse uma palestra do nosso padre Zezinho. Obrigada pelas palavras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*