À busca da Shequiná

“Rogo-te que me mostres a tua glória” (33.18).

Cristãos e pregadores baseados neste texto anelam por ver a glória de Deus imaginando uma manifestação de fogo, escuridão, arrepios pelo corpo, chuvas, ventos, saraiva etc. Uma palavra moderna para glória comumente usada é shequinah, no entanto, este autor passou um pente-fino em toda a Bíblia buscando encontrar a palavra shequinah no hebraico e não a encontrou. Quando aparece glória referindo-se a Deus, na maioria dos textos do AT é chabode. Existem 16 palavras traduzidas como glória, 10 no AT e nenhuma palavra hebraica como shequinah. Desconfio de que esta palavra tem origem na cabala judaica e faça parte do hebraico moderno, jamais do texto hebraico! No NT a que mais se apropria à glória de Cristo e de Deus é Doxa.

Chabode (glória) é a mesma palavra usada para pesar o ouro. O valor do ouro está na sua pureza e usa-se a palavra quilate para medir peso e qualidade. Chabode é usada em relação à glória de Deus, porque revela seu caráter. Foi assim que Deus se manifestou a Moisés. Este pensava em ver a glória de Deus e Deus lhe respondeu: “Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do SENHOR; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer” (33.19 cp. c/ 34.6-7).

Neste último texto é Deus quem fala com Moisés: “E passou diante de Moisés, proclamando: SENHOR, SENHOR, Deus compassivo e misericordioso, paciente, cheio de amor e de fidelidade, que mantém o seu amor a milhares e perdoa a maldade, a rebelião e o pecado. Contudo, não deixa de punir o culpado; castiga os filhos e os netos pelo pecado de seus pais, até a terceira e a quarta gerações”.

Desta feita Moisés ficou quarenta dias e quarenta noites! (34.28).

Esta é a glória de Deus! O seu caráter! O Rei e Senhor de toda a terra tem como glória o caráter de misericórdia! Os rabinos dizem que Deus tem dois tronos sobre os quais se assenta. Quando está muito irado, assenta-se no trono da misericórdia!

Moisés ficou numa fenda da rocha e Deus colocou sua mão tapando a entrada de luz deixando-o em completa escuridão. Solen Asch em sua obra Moisés afirma que Deus da fenda da rocha abriu uma fenda diante de Moisés para a eternidade.

Se alguém que conhece melhor o texto hebraico da Bíblia puder me mostrar onde aparece a palavra Shequiná no AT humildemente me renderei e publicarei seu comentário.

 

Extrato do comentário ao livro de Êxodo feito pelo autor

About Pr. João de Souza

Pastor, escritor, historiador e pesquisador bíblico

View all posts by Pr. João de Souza →

14 Comments on “À busca da Shequiná”

  1. a paz do senhor pastor

    Pastor eu queria saber o que é avivamento e as caracteristicas de um avivamento verdadeiro.E AS CARACTERISTICAS DE UM EMOCIONALISMO.

    SE O SENHOR PODER ME RESPONDER. EU FICO MUITO AGRADECIDO

    1. Eliel: Um fenômeno é o surgimento de algo novo, que causa impacto e logo desaparece. No caso de citar “fenômeno religioso”, tenho em vista os grupos que surgem, atraem grande público e se confundem com a igreja, mas não são de fato, igreja.

      Pastor João

    1. Na realidade, quando as pessoas interpretam glória como shequiná se referem às manifestações visíveis de Deus em forma de vento, fogo etc. Nasm nesni assim, quando quando se lê a palavra glória ligada a essas manifestações, a palavra é sempre kabode, ou chabod. Fazer tendas, Wender é apenas uma suposição. Obrigadão meu leitor assíduo!

  2. Olá, estava com saudade de acessar seu site – sem citar especificamente vários textos bíblicos, creio que se for feito uma pesquisa profunda na Palavra, chegar-se-á a conclusão sublime de que a glória de Deus nada mais é do que a sublimidade de seu próprio Filho, Cristo, ressuscitado e agora presente em nós. Cristo, a esperança da Glória, é a Glória de Deus – nele, inclusive, o caráter de Deus-Pai é expresso plenamente e haverá maior glória do que esta? Assim como Ele é o veremos, e excetuando-se a Deidade Dele, seremos restaurados plenamente a sua imagem e semelhança.
    CONFERE?
    ABS

    1. Você aceitou em cheio, Rubens, porque a glória de Deus é o próprio Cristo habitando no homem. O crente não precisa de manifestações exteriores – o não crente precisa para poder crer – porque já tem a Presença do Cristo em sua vida. Muito bom o seu comentário!

  3. Olá, Pastor João! Parece que o termo shekinah, ou uma palavra que dá origem a esta no hebraico refere-se mais a idéia da presença de Deus ou habitação de Deus como a nuvem em Exodo 40: 34, não tanto a tradução de glória. Que tal? Abração, Ique.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*