Por que lutar contra o Natal? – J.Lee Grady

É impressionante como os secularistas irados odeiam o Natal. É também trágico que alguns cristãos puritanos julguem os demais cristãos porque estes celebram o Natal.

Duas semanas depois de eu haver escrito sobre a forma como Deus trabalhou na vida das pessoas através da história do Natal, vários leitores escreveram para me lembrar que a celebração do Natal é pagã e que a questão de dar e receber presentes é a própria revelação do inferno. Uma pessoa chegou a dizer que se sente desconfortável ao celebrar o Natal devido as suas origens demoníacas.

Você certamente convive com muitos cristãos que boicotam o Natal por várias razões, e tais pessoas insistem que:

1. A festa se tornou um grande comércio que promove discórdia (Até concordo).

2. Não se sabe quando Jesus nasceu. (Verdade – e a Bíblia silencia sobre a data. Contudo, alguns cristãos puritanos anti-natalícios insistem que Jesus nasceu no dia 11 de setembro do 3 a.C., durante a festa de Rosh Hoshaná!).

3. Que o dia 25 de dezembro foi escolhido para “cristianizar” a festa pagã da Saturnália, uma festa de inverno que celebrava o solstício de inverno. (Pode ser verdade – mas o que há de errado em cristianizar alguma coisa? Fico feliz de que uma data pagã foi substituída por uma celebração cristã!).

4. Que a árvore é de tradição pagã, já que os druidas criam que a árvore verde tinha poderes mágicos de afastar os demônios. (Quinta-feira – Thursday em inglês – é um dia da semana em homenagem ao Deus nórdico Thor, mas será que quando eu passo pela quinta-feira estarei adorando a Thor?). NT. A palavra Domingo em inglês, Sunday é em homenagem ao sol e assim os demais dias da semana em inglês são homenagens a astros.

5. O dia 25 de dezembro é o aniversário de Ninrode, que mais tarde foi identificado como Baal, que depois se tornou Nicolau, e que mais tarde veio a se chamar Papai-Noel. Por esta razão, como ter certeza de que os demônios não estejam se escondendo por trás dos candelabros, dos ornamentos, das luzes, e dos panetones? (Eu sabia que tinha alguma coisa naquele panetone!).

Devo admitir que nunca levei meus filhos a acreditarem em Papai-Noel, e não era porque eu tivesse medo de Baal, Ninrode ou de algum bispo turco disfarçado, porque, estaria mentindo se afirmasse aos meus filhos que os presentes foram deixados ali por um velhinho; porque não gosto de fazer compras em shoppings, nem porque existe a possibilidade de trazer um estranho para dentro de minha casa para ver se meus filhos estão dormindo profundamente.

Confesso que gosto do Natal. Gosto das árvores decoradas, dos ornamentos, das luzes, do cheiro, das comidas, da música, dos presentes e dos familiares e amigos que celebram comigo o nascimento de Jesus. Todos os ornamentos que uso apontam para Jesus – desde os sinos na frente da casa ao anjo fixado no topo do árvore, e o presépio da manjedoura mostram que o Natal é uma época maravilhosa do ano quando tenho a possibilidade de refletir sobre o milagre da encarnação de Cristo, seu nascimento milagroso, o que me dá oportunidade de testemunhar do poder de Deus aos que se mostram também generosos.

Faz tempo que as pessoas lutam contra o sentido do Natal, contra a tradição de se presentear afirmando que a celebração foi proibida pela igreja católica romana na idade média devido as suas origens pagãs. Foi então que puritanos anti-católicos declararam guerra ao Natal na Inglaterra e baniram a data de 1647 a 1660, chamando-a de festival do Papa sem quaisquer justificativas. Nos Estados Unidos os puritanos de Massachusetts baniram a celebração do Natal entre 1659 e 1681, durante a guerra civil e se tornou uma festa impopular com o argumento de que estava associada aos ingleses.

O Natal se tornou feriado nacional em 1680. Hoje, apesar de que muitos cristãos pensem que o Natal se tornou apenas um comércio, os puristas querem eliminar quaisquer vestígios da encarnação de Cristo, anulando a celebração do nascimento do Salvador. E levando o mundo a não ouvir nunca sobre o nascimento de Jesus.

É de se esperar que os ateus odeiem os cristãos. Estão aí lutando para eliminar qualquer cena natalícia dos parques e querem que se proíba cantar músicas natalinas nas escolas.  O trágico é quando os cristãos que deveriam usar da data como uma oportunidade de falar dos milagres da encarnação de Jesus para toda a sociedade – estejam banindo a data e até mesmo demonizando o Natal e, consequentemente o nascimento de Jesus.

Celebre o Natal do seu jeito, por todos os meios. Se você acha que estará ofendendo alguém ao enviar um cartão de felicitações ou fazer qualquer decoração, saiba que a maioria das pessoas não pensam como você. Não vou julgar você por seu posicionamento. Mas, por favor, não julgue os demais só porque eles celebram o que é puro e decente e cheio de significado nesta época do ano.

P.S. Feliz Natal!

J.Lee Grady é editor de Charisma.

Tradução de João A. de Souza Filho

Desejo aos meus leitores Boas-Festas e Feliz 2011!

About Pr. João de Souza

Pastor, escritor, historiador e pesquisador bíblico

View all posts by Pr. João de Souza →

17 Comments on “Por que lutar contra o Natal? – J.Lee Grady”

  1. Olá! Pr. João, Graça e Paz…

    Parabéns pela postagem, estarei também publicando no meu blog.
    Nesta oportunidade, quero lhe agradecer pelo seu trabalho como escritor, onde os seus texto tem edificado a minha vida, e a dos que seguem o meu blog; Deus à de continuar te iluminando e
    te dando saúde e unção para continuar.

    Feliz Natal e prospero ano novo…
    Deus abençoe a sua vida, família e ministério…

  2. Sabemos que o Salvador não deixou registro da data de seu nascimento,não existe na bíblia…
    Também fica muito claro o grande consumismo e a hipocrisia de algumas pessoas que desejam está dispostas a ter um bom relacionamento,ou seja:que neste dia haja reconciliação.E quanto aos outros dias?Será que não são dias abençoados por Deus?Percebo que nesta época algumas pessoas desejam ficar “sensíveis” e querem se lembrar do vizinho… Desejo à todos um 2011 abençoado por Deus.
    Marta Costa

  3. Pastor João, mais uma vez fico muito feliz por ler no seu site um tema assim, co uma abordagem boa, lúcida e crítica no bem como um escritor cristão pode fazer. Vou passar para minhas comunidades neste Natal, em formações que fazemos. E viva o mistério de JESUS, a Sua encarnação e VIVA o seu site.

    Pe. Paulo.

  4. Parabéns Pr. João pelo tema abordado.
    Assim como o senhor, eu também gosto do Natal, pois embora não seja exatamente a data do nascimento de Jesus, é uma data em que o mundo pode lembrar que um dia nasceu o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, pois muitas coisas apontam para esse acontecimento.
    Desejo a todos um Feliz Natal!
    Emerson Pimentel

  5. O mundo cristão tem a obrigação de celebrar o nascimento do seu Salvador, para que o mundo todo saiba que Deus está no comando de todas as coisas. Mas, não tem como negar que o mundo todo se apropriou desta data para produzir, comprar, comer, beber, se vestir e tudo mais que o dinheiro pode dar. Sem falar , desse tal de Papai Noel, que tomou o lugar de Cristo no coração das crianças, é uma coisa do mal.
    O Senhor Jesus deixou o exemplo da simplicidade desta data, nasceu numa humilde construção para animais, neste dia, Jose e Maria provavelmente comeram apenas pão e água. Jesus foi envolto em panos, e acomodado em um lugar onde os animais comiam. E porque precisamos de tanto dinheiro hoje para celebrar o Natal. Dinheiro, sim, porque para colocar luzes na casa toda CUSTA DINHEIRO, uma árvore de natal custa uma nota preta, e os enfeites então, nem se fala, os panos com flores vermelhas e sininhos, isso tudo é muito caro. E para fazer uma ceia dessas de revista, meu Deus, eu não tenho como fazer. Na verdade fico triste, porque na minha casa não da para comemorar o Natal assim, com tanto brilho e luz, e comida e bebida.
    Mas então eu lembro que na Biblia está escrito que o Senhor Jesus foi preparar um lugar, para os que o amam na verdade de Deus, e na Biblia também fala de um banquete que está posto para os que morrem no Senhor.
    É isto que me dá paz e a alegria de comemorar o Natal, mesmo sem ter o pinheiro e as luzes, e o perú com frutas na noite de Natal.

    1. Alguns grupos ignoram a data por afirmar que é uma celebração pagã. Ora, a celebração é pagã quando os elementos nela contidos são pagãos. No entanto, deve-se aproveitar a data e celebrar a encarnação do Filho de Deus; a vinda a terra deste que veio salvar a humanidade. Se a igreja celebrasse o verdadeiro Natal de Jesus, e deixasse o Papai Noel de lado, muita gente se converteria.

  6. Natal é uma festa pagã maquiada de cristianismo,não tem na Biblia Jesus comemorando o próprio aniversario,tão inteligente,combate letras de musicas,grande vivência na obra e comete um erro horrível defendendo o Natal,pois é ninguém é perfeito,Natal é uma festa pagã e ponto final.

    1. De fato, foi uma data tirada do paganismo que celebrava o sol; os cristãos a aproveitaram para celebrar o sol da Justiça. Se não quisermos comemorar o aniversário de Jesus, arranquemos de nossas Bíblias os textos que narram seu nascimento, o cântico dos anjos e tiremos dos hinários os hinos que Carlos Wesley escreveu sobre o Natal. Agora, concordo, que fazer do Natal uma data comercial, de gastança, aí é demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*