Category Archives: Companion Bible

Apêndice 23 – Os filhos de Deus em Gênesis 6.2,4

Somente por um ato específico da criação divina é que seres criados são chamados de “filho de Deus” “O que é nascido da carne é carne”. Deus é Espírito, e o que “é nascido do Espírito é espírito” (Jo 3.6). Assim, Adão é chamado de “filho de Deus” em Lucas 3.38. Os “em Cristo”, tendo uma “nova natureza” que vem da direta criação de Deus (2 Co 5.17; Ef 2.10) podem e são chamados “filhos de Deus” (Jo 1.13; Rm 8.14,15; 1 Jo 3.1). (A palavra “geração” de Atos 17.28 é diferente, porque é genos, que tem o sentido de tipo, nosso gene originado em Deus).

Apêndices 25 e 26 – Os Nefilins ou gigantes de Gênesis 6

A descendência dos anjos caídos com as filhas de Adão são chamados em Gn 6 de Ne-phil-im, quer dizer “os caídos” (de naphal, cair). Quem eram esses seres só podem ser entendidos examinando-se as escrituras. Evidentemente eram de grande estatura, e muito iníquos. Eram seres sobre-humanos e anormais, e precisaram ser destruídos para que a raça humana fosse preservada, de acordo com a fidelidade da palavra do Senhor Deus (Gn 3.15).

Os “Cento e vinte anos” de Gn 6.3

Geralmente se interpreta como sendo 120 anos antes do dilúvio, mas tal erro ocorre quando não se observa a palavra para “homens” em Gn 6.1,2 que está no singular com o artigo definido, como no v 3 “homem”, e quer dizer O HOMEM ADÃO. A palavra “também”, claramente se refere a ele. Não existe sentido se “homens” fosse lido no plural. O sentido se refere unicamente a Adão mesmo. “Também” como o restante da humanidade havia corrompido seus caminhos. Se “homens” fosse o sentido aqui, então deveríamos perguntar, quem são os outros designados pela palavra “também”?

Signos do Zodíaco – Uma Abordagem à Luz da Bíblia

Nota: Este texto foi traduzido do apêndice 12 da Companion Bible, editada em inglês por Samuel Bagster and Sons Limited. Qualquer referência tem de ser creditada ao tradutor e aos editores.

Gênesis e seu complemento no Apocalipse

Gênesis

O sentido espiritual dos números da Bíblia

Os números da Bíblia possuem um sentido espiritual que pode ser apresentando da seguinte maneira:

Figuras de linguagem

É importante observar que é absolutamente importante conhecer figuras de linguagem para a interpretação de textos. A palavra de Deus é feita de palavras que o Espírito Santo ensina (1 Co 2.13; 1 Ts 2.13; 2 Tm 3.16; 2 Pe 1.21, etc.).

Criação versus Evolução

A introdução a Gênesis (e a toda a Bíblia). Gn 1.1-2,3, atribui tudo ao DEUS vivo, criando, fazendo, agindo, movendo-se e falando. Não há espaço para a evolução a menos que se negue a revelação divina. Uma deve ser verdadeira e a outra falsa. A obra criativa de Deus foi declarada como “boa” sete vezes (veja ap. 10 cf. Gn 1.4,10,12,18,21,25,31). São “grandes” obras (Sl 111.2; Ap 15.3). São maravilhosas (Jó 37.14). São perfeitas (Dt 32.4).

Nomes divinos e títulos

I. ELOHIM, ocorre 2.700 vezes. A primeira ocorrência se relaciona com a criação e fornecendo o sentido essencial do Criador. Indica a relação de Deus com a humanidade como sendo suas criaturas (veja nota em 2 Cr 18.31 onde está em contraste com Jeová no relacionamento de aliança). Elohim é Deus o Filho, a Palavra viva numa forma divinal de criar (Jo 1.1; Cl 1.15-17; Ap 3.14; “gerado do Pai, antes dos tempos; nascido da mãe no mundo”. Na forma divinal aparecia aos patriarcas, uma forma que assumia temporariamente. Elohim é indicado (na V. A.) por uma grafia normal minúscula “Deus”. Veja mais adiante no item IX.

Estrutura dos livros do AT conforme o cânon hebreu

I – A LEI – TORÁ

A) GÊNESIS. O começo. Ação da palavra de Deus (Gn 1.3). Israel como família (Gn 15.1).