Category Archives: Falsos Movimentos e Avivamentos

Marcião, suas heresias e a finalização do cânone sagrado

A seguir, a tradução do capítulo XXIII do livro The Spreading Flame, de F. F. Bruce.

Em busca do poder temporal – Deus diz a Igreja: “Volta pérfida; volta!”

Qual a reação de Deus com o que está acontecendo com alguns segmentos da igreja brasileira? Deus está atento, calado, remoendo-se de indignação, ou está agindo? Ou ele “entregou” tais líderes pra que sigam seu próprio destino? Afinal, esta parece ser a tática de Deus, como veremos mais adiante.

Milagres: Logo ali! – Vanda B. Zalewski

Caminhando por uma rua de uma cidadezinha do Rio Grande do Sul deparei-me com uma placa em forma de seta que dizia: Milagres. Logo ali! Por ser um cruzamento a seta apontava para outra rua.

Características de um verdadeiro profeta

O ministério profético tem de ter uma vitalidade positiva, isto é, o profeta precisa enxergar uma saída gloriosa, ainda que veja tudo nebuloso à sua frente. Por que digo isto? Porque se percebe que muitos que dizem ter ministério profético se tornam azedos, amargos e negativos em sua proclamação, e os sites na Internet são evidências do que quero afirmar. As críticas amargas indicam que a pessoa que julga ter um ministério profético não conseguiu visualizar nem perceber a essência do coração de Deus que é a restauração do homem e a vinda de um reino glorioso.

Oito sinais de alerta sobre as toxinas da fé – J. Lee Grady

A religião legalista é perigosa. Eis como detectar e evitar o veneno do espírito religioso.

Fora com as palhaçadas ministeriais – J. Lee Grady

Fora com as palhaçadas ministeriais – É tempo de comprometimento e precisamos reafirmar o óbvio: Deus requer que os líderes obedeçam as regras!

Prostitutos Cultuais e Mercadores da Fé

Eu estava tentando encontrar um adjetivo para qualificar os atuais cantores e pregadores que cobram elevadas somas em dinheiro para pregar ou cantar nas igrejas e em conferências promovidas por evangélicos, e achei que “mercador da fé” não é um adjetivo apropriado, porque é simples demais para nominar tais pessoas. Pois bem. Vejo esses exploradores da boa-fé evangélica como prostitutos cultuais – que é a tradução da versão atualizada – para os que se prostituíam junto aos templos pagãos e que depois passaram a se prostituir diante do templo do Senhor em Jerusalém. Porque os prostitutos (as) cultuais mencionados na Bíblia exploravam os que se dirigiam ao templo para adoração oferecendo-lhes um pouco de orgia – orgia sexual revestida de espiritualidade, como alguns desses a que me refiro que falam línguas, profetizam, oram pelos enfermos, são místicos e super espirituais… Mas orgiofantes (como os sacerdotes que prestavam culto a Dionísio).

Entramos Numa Nova Era

Pois hoje, enquanto fazia minha caminhada diária e refletia – dei-me conta de que havia saído de uma era e entrado noutra. Primeiramente me dei conta de que saí da era do papel e entrei na era digital – não há mais jornais em meu gabinete – eles desapareceram de nossa casa. E só me dei conta disso quando minha esposa pediu jornais velhos para embrulhar uns copos quebrados e colocá-los na lixeira. É costume nosso embrulhar bem os cacos de vidros para que os coletores de lixo não se machuquem. Mas não havia jornais. É que optei tempos atrás em manter recortes de arquivos digitais. Leio vários jornais e revistas pela Internet. Quer dizer, saí da era do papel e entrei na era da notícia digital sem perceber. Papeis, aqui em casa só os da impressora, guardanapos de boca, o papel higiênico e o papel de cozinha. Nada mais.

Os profetas da virada do ano

Todos os finais de ano – infalivelmente – recebo por e-mails as predições do ano que se inicia. Não bastassem os profetas e videntes que manuseiam cartas, búzios, horóscopos e livros orientais, agora apareceram os “profetas de Deus”, sempre nos finais de ano profetizando.

Apóstolos e profetas da prosperidade

Durante muitos anos acostumamo-nos a ouvir predições dos astrólogos, numerólogos, videntes e profetas de Satanás, que utilizando o rádio e a tevê, ou a mídia impressa, anunciam prosperidade ou catástrofes. Este fim de ano de 2004, não os vi na mídia como antigamente, talvez porque as predições do principal profeta milenar, Nostradamus, caíram todas por terra.